Major, cão de Joe Biden, volta a morder funcionário na Casa Branca

Incidente aconteceu na segunda-feira, mas só foi divulgado nesta terça (31); funcionário foi examinado por 'excesso de precaução', mas não teve qualquer ferimento. Pastor alemão de três anos tinha mordido mão de agente do Serviço Secreto no início do mês e receberia treinamento em Delaware, segundo presidente


0
Major, cão da família Biden, passeia no gramado da Casa Branca, na segunda-feira (29) (Foto: AP Foto/Evan Vucci)

Major, o cão mais jovem do presidente dos EUA, Joe Biden, voltou a morder um funcionário pela segunda vez este mês, admitiu a Casa Branca nesta terça-feira (30). O cachorro “mordiscou alguém enquanto fazia um passeio” na segunda-feira, disse Michael LaRosa, secretário de imprensa da primeira-dama, Jill Biden, que acrescentou que Major “ainda está se ajustando ao seu novo ambiente”.

A nova vítima do animal foi examinada pela unidade médica da Casa Branca por “excesso de precaução” e retornou ao trabalho sem qualquer ferimento, segundo LaRosa. Major tinha sido visto por jornalistas passeando pelo gramado sul da Casa Branca antes de o presidente e a primeira-dama embarcarem para o Memorial de Veteranos do Vietnã, no início da noite de segunda-feira.

O pastor alemão retornou à residência oficial do presidente na semana passada, ao lado de seu irmão mais velho, Champ, após causar um pequeno ferimento em um agente do Serviço Secreto com uma mordida, no dia 8 de março. Após o incidente, o presidente disse que Major era um “cão doce”.

Em uma entrevista à ABC News, Biden justificou a mordida dizendo que o cachorro havia “cometido um engano, há duas pessoas que ele não conhece, você sabe, e elas se movimentam muito para fazer (o serviço de) proteção”.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui