Major Fábio Kuhn assume comando do 22º Batalhão de Polícia Militar e quer que comunidade seja bem atendida

Função era ocupada pelo tenente-coronel Marcelo de Abreu Fernandes durante dois anos


0
Comandante Regional de Polícia Ostensiva do Vale do Taquari (CRPO-VT) Douglas da Rosa Soares, o antigo titular do 22º Batalhão, Tenente coronel Marcelo de Abreu Fernandes e o novo comandante, Fábio Kuhn (Foto: Caroline Silva)

Na tarde desta quinta-feira (17) ocorreu a solenidade de passagem de comando do 22º Batalhão de Polícia Militar. A função era ocupada pelo tenente-coronel Marcelo de Abreu Fernandes desde junho de 2019. Ele que tem 28 anos de carreira, passa a função para o major Fábio Kuhn, natural de Arroio do Meio, que atuava como chefe de Operações e Inteligência do Comando Regional de Polícia Ostensiva do Vale do Taquari (CRPO-VT).

Para o novo comandante é um dia importante, pois segundo ele, sonhava em alcançar este cargo. “É um momento de felicidade, algo que na nossa carreira sempre se espera alcançar. Conheço a região, sou daqui e isso vai facilitar minha gestão. Vou continuar o trabalho que já vinha sendo feito pelo tenente-coronel Abreu e toda sua equipe”, enfatiza.

Embora diga que a Brigada Militar faça um bom trabalho na região, ele fala que quer trabalhar intensamente para que a comunidade seja bem atendida. “A Brigada Militar já presta um excelente trabalho a comunidade e vou seguir com o meu olhar. Meu desejo é que as pessoas sempre sejam bem atendidas, desde o 190 até o atendimento do fato”, destaca.

Missão cumprida

Após dois anos frente ao comando do 22º Batalhão de Polícia Civil, o tenente-coronel Abreu deixa o cargo com sentimento de missão cumprida. Conforme ele, muitas de suas metas do começo da função foram alcançadas. “Fechamos dois anos no comando e chegamos com várias metas, conseguimos concluir várias delas”, diz. Ele menciona algumas como ampliação das equipes da Força Tática, modernização dos quartéis, e criação da Rocam.

O tenente-coronel também fala que em sua gestão fez a integração do trabalho da BM com outros órgãos de segurança, o que segundo ele, é de extrema importância. “A segurança pública não é feita só pela BM, precisa haver envolvimento de todos os órgãos de segurança”, frisa.

O comandante que agora passa para a reserva, também comemora a redução dos índices criminais, que conforme ele, é fruto deste trabalho integrado. “Resultado de um trabalho não somente da Brigada Militar, mas integrado a outros órgãos de segurança”, ressalta.

Tenente-coronel Marcelo de Abreu Fernandes deixa o cargo após dois anos (Foto: Caroline Silva)

Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br