Marcelo Caumo espera que casos de dengue baixem em Lajeado nas próximas semanas como reflexo das ações da prefeitura

Prefeito destaca que a dengue não é um problema exclusivo de Lajeado ou do RS, ao lembrar Santa Catarina está em situação pior


0

Em entrevista à Independente nesta sexta-feira (13), o prefeito Marcelo Caumo analisou o fato de Lajeado ter sido alçado à condição de município com maior número de casos de dengue no RS, ultrapassando Porto Alegre. De acordo com ele, é de responsabilidade da administração concentrar esforços no combate ao mosquito Aedes aegypti, independente da classificação. Caumo acredita que há subnotificação de casos, tanto em Lajeado como em outras cidades gaúchas. Os gestores municipais também enfrentam problemas para comprar testes. Ele cita que Lajeado fechou contrato para determinada quantidade de exames, mas os fornecedores não conseguem cumprir os prazos.

Além de um decreto que autoriza os agentes de endemias a entrarem nas residências em caso de recusa do proprietário e estipula punições, a prefeitura também faz uma mobilização com as escolas para que as crianças levem um roteiro com dicas e locais para as famílias fazer a averiguação, de modo a eliminar focos de dengue.

Segundo Caumo, o foco de Lajeado está em utilizar os dados de um mapa de calor para concentrar e ampliar ações em áreas com risco mais elevado. No site da administração municipal, a população pode acompanhar em tempo real onde tem maior número de confirmações para multiplicar o seu cuidado, ressalta o prefeito. Atualmente, o município tem 20 agentes epidemiológicos. Os agentes comunitários de saúde também receberam capacitação para atendimento à dengue.

O prefeito avalia que os dados têm um tempo até entrarem no sistema da vigilância estadual. Ele espera que nas próximas semanas as ações já comecem a dar resultados, reduzindo os casos ativos. Caumo afirma que a dengue não é um problema exclusivo de Lajeado ou do Rio Grande do Sul. Ele cita que Santa Catarina apresenta indicadores piores. O Centro-Oeste também tem um número de casos muito grande, afirma.

Monitoramento

No programa Troca de Ideias, o prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo, falou sobre o desejo de ampliar o número de câmeras do Centro Integrado de Operações de Segurança. Segundo ele, a proposta foi apresenta nesta quinta-feira aos órgãos de segurança.

A prefeitura objetiva comprar os equipamentos para que o centro integrado possa iniciar suas operações. Ele funciona no 22º Batalhão de Polícia Militar (22º BPM), e vai concentrar todo o monitoramento da cidade. “Os nossos números são bons, mas não podemos relaxar. Devemos ficar atentos e oferecer condições para órgãos de segurança fazerem seu trabalho”, ressalta.

Saída de secretário

O prefeito também falou sobre a possível saída de Guilherme Cé, atual titular da Fazenda, do governo municipal. Segundo Caumo, essa é uma conversa que os dois têm tido recentemente. “É um grande parceiro, grande profissional e tem uma carreira brilhante pela frente”, afirma. “Não é a primeira e não vai ser a última saída de secretários”, comenta. Conforme ele, Cé tem como filosofia dar sua contribuição para o serviço público, mas entende que a vida mesmo acontece no setor privado.

Sem prazo para a saída, o prefeito elogia o secretário, que está com ele desde o começo da gestão, em 2017. “A gestão dos recursos do município, principalmente na Secretaria da Fazenda, tem sido muito boa nos últimos anos”, destaca. “Faz parte da vida e que bom que os serviços dos secretários de Lajeado estão sendo reconhecidos e outras oportunidades surgem para eles. Isso é fantástico.”


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui