Mari Perin & Finger: “A gente não vende só um produto, a gente vende uma emoção, um sonho”

Ricardo Brunetto conversa com Maristani Perin e Marcio Roberto Dick, empreendedores da Mari Perin & Finger Móveis Planejados


0

No Arte de Empreender deste sábado (3), o apresentador Ricardo Brunetto recebeu no novo estúdio da Rádio Independente, chamado Lauro Mathias Müller, os convidados Maristani Perin e Marcio Roberto Dick. Os empreendedores são proprietários da Mari Perin & Finger Móveis Planejados.

No programa, eles falaram sobre a trajetória pessoal de sucesso como empreendedores e abordaram os desafios e oportunidade no mercado de móveis planejados. Reforçaram a necessidade da elaboração de um bom projeto, caprichado e adequado às necessidades dos clientes, para atender as suas exigências.

Maristani reforça o espírito da frase “entre como cliente e saia como amigo” que a empresa utiliza. “A gente não vende só um produto, a gente vende uma emoção, um sonho. O lar é tudo, a casa é a alma da pessoa”, pontua.

VÍDEO: Assista ao programa completo


O que nos define é o que os outros pensam de nós

com Tamara Bischoff

Nessa semana, publiquei um texto nas minhas redes sociais falando sobre nossa necessidade de reconhecimento que se manifesta já no início da vida, especialmente naquela fase em que as crianças solicitam o tempo todo o olhar dos pais. Esse olhar, desde os primeiros meses de vida do bebê, funciona como um espelho, que devolve uma imagem e diz quem somos, como somos: mais ou menos interessantes, mais ou menos bonitos, mais ou menos capazes, mais ou menos importantes, mais ou menos amados. E assim vamos nos desenvolvendo, preenchidos dos olhares e recobertos das palavras que os acompanharam. O psicanalista Contardo Calligaris dizia que não é nosso nascimento que nos define. “O que nos define é, de certa forma, o que os outros pensam de nós”.

Se lembrarmos das palavras e dos olhares que nossos pais nos dirigiam na infância, podemos constatar o peso disso vida afora, com consequências de diferentes proporções. As observações que faziam sobre nós, dia após dia, foram penetrando como a tinta em uma tatuagem, fixando de tal maneira em nossa pele que o passar do tempo até pode deixar a marca mais fraca, mas ela está sempre lá.

Em algumas pessoas, se o olhar inicial foi demasiado falho, resta uma busca incessante por retorno. É o caso dos adultos carentes de atenção, uma atenção que nunca parece suficiente. É o tipo de pessoa que precisa muito de incentivo e elogio, necessita um empurrão constante.

De outro lado, tem aquelas que se imaginam sempre mais importantes do que são, como se o mundo lhes devesse algo, e portanto, sentem-se no direito de agir em benefício próprio, doa a quem doer. Tem também as que recebem um reconhecimento e não se sentem autorizadas a usufruí-lo, pois não seriam merecedoras.

No mundo do trabalho, temos todos esses e muitos outros perfis convivendo juntos e buscando nos colegas, clientes, subordinados e superiores uma opinião a respeito de quem são. E quem exerce funções de liderança tem o desafio de lidar com esses infinitos modos de ser e agir e tentar potencializar ao máximo cada um deles em prol de um objetivo comum.

Então fica aqui a minha provocação: de que maneira você tem olhado para as pessoas que trabalham com você, e que palavras tem dito a elas? Lembre-se que para algumas delas, o óbvio precisa ser dito e pode, inclusive, ser transformador.


Parcerias com outras empresas para otimizar os negócios

com Soraia Gerhardt

Parceria pode ser sinônimo de sobrevivência em momentos de crise. Em tempos cada vez mais disputados, com diversas empresas atuando em segmentos semelhantes ou até iguais, a realização de parcerias deve ser foco estratégico, pois ajuda para alcançar objetivos de maneira mais veloz e assertiva.


ouça as dicas

 


Normalmente, parcerias acontecem entre empresas de um mesmo ramo, entretanto, em momentos tão conturbados como o que estamos passando no ano de 2021, muitas parcerias vêm acontecendo até entre concorrentes para a sobrevivência de alguns setores.

Soraia Gerhardt, analista de Relacionamento do Sebrae Lajeado

O conceito da palavra parceria pode ser definido como: Reunião de indivíduos para alcançar um objetivo comum e um dos fatores que contribuem para a geração de uma boa parceria é o networking (rede de contatos). Por isso, a empresa deve buscar um parceiro focando os olhares para aqueles que têm maior relação com o seu modelo de negócio e o seu propósito.

Não existe um modelo ideal de parceria, isso vai depender de qual é o objetivo e qual a solução que será resolvida. Por isso no momento de propor ou até quando receber uma proposta, a empresa deverá analisar alguns pontos cruciais como; a forma que será feita a entrega do produto/serviço; o modelo de contrato de parceria; as restrições; o tempo de vigência, dentre outros indicativos que podem beneficiar ou frustrar alguma das partes com o passar do tempo.

Sempre busque parceiros que complementem o seu negócio, que possuam uma ideologia parecida com a sua, que tenham referencias ou sejam confiáveis perante o mercado.
Avalie e veja quais as oportunidades de parceria sua empresa tem!


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui