Massa de ar polar toma conta do Rio Grande do Sul

Fim de semana gelado e de tempo seco nas cidades gaúchas.


0
Foto: Ilustrativa

Depois de uma semana de verão em pleno inverno, os gaúchos viverão uma sequencia de dias com marcas baixas. Avança pelo Estado uma massa de ar frio que provocou muita neve em províncias da Argentina. Não há indicativo de neve por aqui, mas a temperatura despencará no fim de semana.

O ingresso do ar polar marcará o começo de um período muito longo em que o frio vai predominar no Rio Grande do Sul. Em Lajeado, a sexta-feira (26), começou com 7,7°C e a máxima chegará aos 13ºC.

As madrugadas do fim de semana no Estado serão muito frias, podem ter mínimas negativas em diversas localidades e se prevê formação de geada. A temperatura deve cair abaixo de zero na Campanha, junto à fronteira com o Uruguai, na Serra do Sudeste, no Planalto Médio, na Serra Gaúcha, no Alto Uruguai, no Noroeste e nos Campos de Cima da Serra.

De acordo com a MetSul Meteorologia, o mapa que mostra a projeção para os próximos 15 dias revela que as marcas nos termômetros estarão abaixo da média no Sul do Brasil. Modelos indicam a possibilidade de uma nova massa de ar polar, esta muito forte, na primeira semana de julho.

Há simulações computadorizadas sinalizando até chance de neve nas partes altas do Sul do país no dia 5 de julho, mas neve só entra em previsão dias antes. Desenha-se uma primeira quinzena de julho fria com muitas jornadas de temperatura baixa.

Recorde de raio mais longo do mundo

O Rio Grande do Sul entra para a história meteorológica mundial como o detentor do recorde de raio mais extenso já documentado no planeta. A descarga ocorreu na primavera de 2018 e o dado foi oficializado nesta quinta-feira (25), pela Organização Meteorológica Mundial (OMM).

A mais extensa descarga elétrica na história ocorreu em 31 de outubro de 2018 no Sul do Brasil, na Metade Norte gaúcha e junto à divisa com Santa Catarina. O raio se estendeu da província argentina de Misiones, quase no Paraguai, passou pelo Rio Grande do Sul e foi até o Atlântico. A descarga complexa, semelhante a uma aranha, percorreu uma distância horizontal de cerca de 710 quilômetros, quase a distância entre Porto Alegre e Curitiba.

Gafanhotos

O tempo já melhorou na área da província argentina de Corrientes onde estão os gafanhotos que colocam em alerta autoridades argentinas, brasileiras e uruguaias. A projeção do modelo GFS indica uma sequência de dias de tempo seco e com frio na região, condição que não é favorável aos insetos, que não se deslocam devido à baixa temperatura.

A nuvem de gafanhotos levou o Ministério da Agricultura a declarar estado de emergência fitossanitária nas áreas do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A portaria foi publicada no início da madrugada desta quinta-feira (25), no Diário Oficial da União (DOU).

Fonte: MetSul

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui