Médico e secretário da Saúde de Lajeado convida à reflexão sobre eficácia das vacinas

Cláudio Klein elogia vacinas tradicionais, já amplamente aceitas e consagradas no calendário vacinal, porém avalia que os imunizantes contra covid-19 não trouxeram todo o benefício esperado


8
Secretário de Saúde de Lajeado, o médico pneumologista Cláudio Klein (Foto: Rodrigo Gallas / Arquivo)

O médico pneumologista e secretário da Saúde de Lajeado, Cláudio Klein, entende que, com a redução do contágio de coronavírus, agora é possível fazer uma avaliação mais tranquila e independente sobre a eficácia das vacinas. Por isso ele convida à reflexão.

No Acorda Rio Grande desta quinta-feira (14), o profissional explicou que é a favor, sim, dos imunizantes, mas é preciso se observar a forma como são fabricadas e o histórico de resultados ao longo do tempo. “Vacina, sim, é muito boa, mas qual a vacina?”, questiona.

Ele elogia vacinas tradicionais, já amplamente incluídas, aceitas e consagradas no calendário vacinal pela imunização prolongada que oferecem. Segundo ele, no entanto, imunizantes novos podem ser repensados porque não estariam dando todo o benefício esperado.

Klein avalia que a vacina contra a covid-19 não protegeu contra a doença em si, pois as pessoas continuaram se infectando e transmitindo o vírus durante a pandemia. Porém, ele reconhece que cumpriu seu papel de evitar a infecção grave pela doença. “Nem a imunidade natural está dando imunidade plena, porque a pessoa está pegando outras variantes, e muito menos a vacina. Acho que sim, que é um momento de repensar”, pondera.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

8 Comentários

  1. Parabéns Dr. Claudio por falar o fato, a realidade, coisa que a velha mídia não faz. A indústria farmacêutica ganhando rios de dinheiro por um imunizante que só tem prejudicado milhares de pessoas, a maioria jovens. Há diversos relatos de fontes confiáveis sobre esses acontecimentos, que não são divulgados na grande mídia, preocupada em derrubar um presidente honesto em prol de um ladrão descondenado por juiz supremo que não vale a comida que come…

  2. Esse cara é burro ou é mau caráter (bolsonarento)? Covid é um vírus novo, vale cada esforço dos cientistas para desenvolver e aprimorar as vacinas. Viva a ciência e fora ao negacionismo.

  3. Desnecessário esse tipo de comentário, ainda mais vindo de um médico, digo mais, um desserviço. Os índices de vacinação das doses de reforço não melhoram justamente por esse tipo de descrédito que se dá as vacinas, elas funcionam sim e se não fossem elas, estaríamos bem piores. Falta sim a secretaria de saúde incentivar as pessoas a buscar as vacinas e não ficar fazendo esse tipo de “showzinho” pra agradar determinado público anti-vacina.

  4. Pelo amor de Deus, em que realidade vive esse “médico”? A situação de tranquilidade que vivemos hoje só existe por conta da vacinação.
    Se percebe de onde vem a falta de interesse do município na vacinação de reforço, não se vê mais os esforços da Prefeitura para ampliação da cobertura vacinal.
    E mais uma vez a Independente dando palco pra negacionista.

  5. Se não fosse o negacionismo do corrupto que está como presidente a vacina teria chegado muito antes, infelizmente essa demora permitiu que novas variantes aparecessem. A história não irá perdoar esses negacionistas.

  6. A vacina contra o covid-19 não tem – e nunca teve – a promessa de evitar o contágio, mas sim de reduzir os casos graves. Por isso segue a recomendação dos cuidados básicos, como higiene e uso de máscaras. Para comprovar isto, basta ver os dados de mortes, que são proporcionalmente muito menores na população vacinada se comparados com a população não vacinada. Fato semelhante ocorre com a vacina da gripe. Ela também não evita o contágio, mas diminuiu a gravidade da doença. Como profissional de saúde, defendo a liberdade de as pessoas se vacinarem ou não. Ninguém deve ser obrigado a se vacinar. Defendo, também, que, em caso de colapso no sistema de saúde, a prioridade de acesso seja para quem se vacinou e, com esta atitude, buscou se proteger e proteger o próximo.

  7. A vacina “prejudicou” tantas milhares de pessoas que fez os índices de mortalidade caírem, e muito. Que coisa ruim né. Vocês só estão na rua agora por causa dela, e poderia ter sido muito antes, não fosse esse desgoverno.

  8. É um absurdo este tipo de afirmação vinda de um médico e secretário da saúde. É coisa típica de negacionista apoiador do desgoverno federal.
    Se não fossem as vacinas, os hospitais ainda estariam lotados e aconteceriam muito mais mortes por Covid.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui