Médicos da região recomendam uso de ivermectina no tratamento precoce da Covid-19

A orientação é realizada via documento, baseado em estudos, elaborado por 28 profissionais da saúde.


32
Médico Regis Dewes e o secretário da Saúde de Lajeado, o médico Cláudio Klein (Foto: Rodrigo Gallas)

Um grupo de médicos de Lajeado e região recomenda o uso do medicamento ivermectina como profilaxia da Covid-19, ou seja, no tratamento da doença de forma precoce. A recomendação é realizada via documento elaborado por 28 profissionais da saúde. Acesse o documento clicando aqui. Nesta segunda-feira (21), no programa Panorama, o secretário da Saúde de Lajeado, o médico Cláudio Klein, e o médico Regis Dewes, falaram sobre a proposta.


ouça a entrevista

 


 

Segundo Klein, “cada vez temos mais evidências favorecendo que as medicações têm efeito muito positivo em todos os sentidos. Na redução de sintomas, na redução de chances de desenvolver a doença, na redução de complicações da doença, na redução de internações e, obviamente, aí se reduz UTI e óbitos.”

Dewes afirma que há 206 estudos no mundo apoiando o uso da ivermectina. E é com estes trabalhos que o grupo de médicos se baseou para a elaboração do documento.

Klein sustenta que os artigos mostrando a ineficácia da medicação foram realizados em pessoas já com estado avançado da doença. “A intervenção medicamentosa, para que ela atue na fase que o vírus comece a se desenvolver, tem que ser nos primeiros dias. O ideal é o quanto mais cedo”, explica.

De acordo com o grupo, o tratamento precoce com o medicamento ivermectina pode reduzir a carga viral, tempo de sintomas, internação hospitalar e óbitos. A recomendação vem em um momento crucial que “envolve o período de férias para grande parte da população, Natal e Ano Novo, propícios à aglomerações e aumento da disseminação do vírus.” Os médicos também atentam para a importância da população continuar mantendo o distanciamento social, uso de máscara e higienização das mãos.

O documento lembra que a profilaxia foi utilizada com sucesso quando surtos da doença ocorreram no Presídio Estadual de Lajeado e em 3 casas geriátricas (ILPIs). “Os resultados, considerando a gravidade da doença nestas populações, internações hospitalares e óbitos, foram muito superiores aos observados em outros locais que não utilizaram a mesma proposta de intervenção.”

O texto também descreve que um grupo de médicos recomenda o uso de um “Kit Covid” desde maio por meio da Secretaria da Saúde de Lajeado.

Médicos que assinam o documento

Dra. Adriana Sassi Nunes de Souza, Dra. Aline Scapini Caumo, Dra. Carolina Bellotto, Dr. César Radcke, Dra. Cláudia Barros Coelho, Dra. Cláudia Monfroni Rocha, Dr. Cláudio André Klein – Secretario Municipal de Saúde, Dra. Daphne Dalpian Bonfiglio, Dr. Eduardo Atkinson, Dr. Fábio Fraga, Dr. Francisco Cosme Costa, Dr. Hélio Roberto Fernandes, Dra. Ilone Riedner Barghouti, Dra. Jiovana Friedrich, Dra. Jussara Bohn, Dr. Luiz Fernando Kehl, Dra. Mercedes Saraiva Rubim, Dra. Nara Regina Lessa Pimentel, Dra. Márcia Beatriz Hexsel Abichequer, Dr. Paulo Tavaniello, Dra. Raquel Tavaniello, Dr. Régis Dewes, Dr. Roberto Reckziegel, Dr. Rogério Luís Cabral, Dra. Rosane Jost Gravina, Dra. Sandra Helen Cabral, Dra. Suzana Elesbão de Borba e Dra. Thaís Fernandes.

Texto: Rodrigo Gallas
web@independente.com.br

32 Comentários

  1. Parabéns aos profissionais honrando a ética médica básica: salvar vidas. Têm meu respeito e admiração.

  2. Excelente trabalho! É isso que esperamos da comunidade médico-científica! Trabalho, estudos, fatos, conclusões embasadas… Precisamos acabar com a política em setores onde ela não pode estar e com a falta de credibilidade das informações que recebemos. É apenas desta forma, com profissionais qualificados emitindo pareceres profissionais, isentos e embasados que vamos superar esse problema, que é tão grande quanto a própria Covid-19. Cuidem-se todos! Não tenham medo, mas tenham cuidado e atenção. Informem-se! É com a informação que ficamos sabendo o que é preciso fazer, como agir e, também, ficamos mais tranquilos sem medo e pânico. Não se paralisem! A vida precisa seguir e ficar paralisado não é viver.

  3. Que vergonha ver esse documento, com referências absolutamente insignificantes (várias em pré print ou nem mesmo publicadas em periódicos científicos) assinado por 28 médicos que serão julgados pela história.
    Vergonha, vergonha.

    • Vergonha é você dando pitaco em área que vc não sabe nada. Se você for médico, quero distância de você, se eu ficar doente.

    • Tomei ivermectina tive a doença e passou como uma gripe. Estes merdas estão matando as pessoas a toa. Muita gente da minha família está tomando e até agora não tiveram nada.

    • Vergonha é poder fazer algo, e se omitir. Minha família de 20 pessoas tomam ivermectina e até agora graças a Deus ninguém pegou ou não sentiu nada que pudesse crer que era covid. Então eu creio nesta prevenção sim.

      • Verdade Olivia! Porém não é só vergonhoso, mas principalmente CRIMINOSO esse tipo de conduta de um profissional (pseudo) da saúde. O que seria da humanidade sem a medicina, mas se dependesse desse tipo de profissional, talvez ainda estaríamos engatinhando na medicina da Idade Média. Lamentável …

    • Comentário próprio de um DÉBIL MENTAL, vergonha sinto de pessoas que MATAM em nome da ciência superfaturando nos hospitais de Campanha, epis, remédios e principalmente agora na Vacina Milagrosa do #DorianaMata FDP…é desse cretino entre outros que deveríamos sentir muita VERGONHA !!!!

    • Moro com mais 4 pessoas da família, todos pegaram ,único que tomou Ivermectina fui eu ,não peguei ,acredito muito nesse medicamento

  4. que pena que não é feito isso no posto de saúde do centro eu na primeira semana a dra lá me receitou ibuprofeno paracetamol e o anti alérgico loratadina DIA 4 11 e fiquei bem pior na segunda e terceira semana na segunda semana outra dr me prescreveu AZITROMIZINADIA 11 11 FIZ O PCR DIA DIA 5 11 FUI NA UPA DRFALOU SÓ ISOLAMENTO DIA 15 11 NA UPA DE NOVO ESTE FOI LEGAL COMIGO VIU QUE ESTAVA BEM RUIM ME FEZ INJETÁVEL VEIA SORO PLASIL E PARA DOR E ME RECEITOU ENTEROGERMINA PLUS ….SAIS ,,,TROPINAL,,,E VONAU FLASH ISTO TUDO ENTRE DIA 02 11 ATÉ 15 11 SINTOMAS COMEÇARAM DIA 01 11 LAMENTÁVEL PASSEI MUITO MAL TANTO FISICA QUANTO PSICOLOGIGAMENTE MUITO PÁNICO ISSO QUE SOU AGENTE COMUNIDARIA DE SAÚDE DESDE 1996 QUASE 25 ANOS A BASE É ISOLAMENTO MUITO TRISTE….. D0RALI TIEZE BERGMANN

    • Triste mesmo. Felizmente alguns médicos de postos de saúde já estão adotando veste protocolo. Tive caso comprovado na família, onde, nos primeiros sintomas, o médico do posto receitou ivermectina e azitromicina. Conclusão: sucesso total no tratamento.

  5. Parabéns à esses profissionais! Aqui em Floripa, infelizmente, a rede pública não tem tratamento precoce. Secretário de saúde do município, prefere lotar utis e hospitais. Misericórdia.

  6. Parabéns a médicos de VERDADE !!!
    Todos sem excesso deveriam assinar,porque NÃO fazem? Porque são Médicos desqualificados verdedores de remédios !!

  7. Infelizmente alguns sites que se dizem de checagem, estão falando bobagens a respeito da ivermectina. Que pena!!
    Já tomei ivermectina no passado, não morri nem tive efeito colateral. Estou tomando novamente. Vida que segue!
    Quem for contra cheque é só não tomar, né?

  8. Venho tomando ivermectina desde 05/2020 para vermes (kkkkkk) . Paguei 100 reais por 4 comprimidos, mas não posso me dar ao luxo de parar um dia de trabalho. Se tive covid? Provavelmente. Vou continuar tomando? Claro que sim. Assim como não está está comprovado sua eficácia, não está sendo nada comprovado que exista algo que combata essa praga e essa história de vacina está longe de ter um final feliz. Se é guerra, vamos combater com o que temos.

  9. Meu tio que tratou com azitromicina morreu , o outro mesmo tendo 77 anos, diabético e hipertenso , estando com 50% do pulmão comprometido, tratou com ivermectina, vitamina D, azitromicina e Clavulin e se recuperou . Não precisou nem de internação

  10. Trabalho? Estudos? Fatos?
    Um apanhado de estudos que não se prestam a dar respostas clínicas objetivas, apenas análises in vitro que levantam hipóteses, ou estudos clínicos com inúmeros vieses epidemiológicos. O fato é que até agora não foram confirmados em nenhum estudo duplo cego, randomizado, multicentrico a eficácia clínica dessa medicação, assim como cloroquina, zinco e vitamina D também não.
    Tomar ivermectina faz mal? não. Vai desverminar a população, então quem quiser toma. Mas se for pra médico brincar de curandeirismo prescrevam cachaça com arnica que é até mais comum pra população. Medicina é coisa séria.
    Levem a sério.

    • Se me mostrares quantos medicamentos tem estudos duplo cego, randomizados, multicêntricos e são usados sem nenhum questionamento. Acorda meu amigo. Apenas 10% dos medicamentos usados tem esse estudo. Então medicina é coisa séria ?? Primeiro vá estudar, para depois questionar.

  11. Parabéns aos profissionais RESPONSÁVEIS, que levam a termo o cuidado das pessoas. Talvez fosse interessante a distribuição nos postos de saúde.
    Mais uma vez, parabéns!
    Ari Vieira Marques
    Lajeado – RS

  12. Eu e minha esposa já tomamos ivermectina desde julho, pois nosso filho trabalha com eventos e seus amigos vem sempre aqui em casa e alguns deles tiveram covid ,mas nós até o momento estamos saudáveis
    Ps.Nos.fazemos parte do grupo de risco, temos mais de 60 anos

  13. Eu tomo ivermectina na dose recomendada amplamente nas redes sociais, ou seja: 3 comprimidos de 6mg, de 15 em 15 dias. Já li estudos científicos em inglês que realmente atestam a eficácia do medicamento. Sabendo que não existe pandemia, mas um vírus que foi criado para justificar o RESET global, fica mais fácil de aceitar que a cura está bem perto de nossas mãos, porém as agências de fact-checking (ou left-checking, como diria o analista @leandroruschel) que são mantidas pela Open Society Fundation, que, ora, pasmem, pertence a George Soros (o magnata que financia a esquerda), juram que os medicamentos alternativos são todos inócuos. Somente o que resolve é a vachina. Uhum, senta lá, Claudia.

  14. Conheço pessoas que tomaram essa porcaria orientado por médicos e, morreram No entanto, segundo a Anvisa, “não existem, ainda, resultados conclusivos sobre a eficácia da ivermectina no combate à COVID-19. Também não existem dados que indiquem qual seria a dose, posologia ou duração de uso adequada para impedir a contaminação ou reduzir a chance de gravidade da doença”. Isso porque os resultados encontrados in vitro podem ser muito diferentes dos encontrados in vivo, ou seja, quando testada em pacientes humanos.

    Pela falta de estudos conclusivos, o medicamento não pode ser considerado como eficaz para o tratamento da COVID-19. Por exemplo, para a aprovação de novas indicações terapêuticas para um medicamento é necessário a demonstração de segurança e eficácia em um número representativo de participantes, o que ainda não ocorreu. “No caso da Ivermectina, contudo, os estudos disponíveis acerca da sua eficácia no tratamento da COVID-19 ainda não são conclusivos”, completa.

    Fonte: Anvisa, O Globo, Correio Braziliense

  15. É tão simples resolvermos todo esse furdúncio. Se vc não concorda com o tratamento precoce não tome, se voce concorda, tome. O que não podemos é impedir ou influenciar pessoas a se posicionarem de acordo com a nossa vontade. Prescrições médicas (para não dizer erros médicos) também matam e ficam por isso mesmo. Os efeitos colaterais são irrisórios em ALGUMAS pessoas que fazem uso da h. cloroquina, ivermectina, etc. remédios conhecidos a décadas. Agora, tentar impedir que alguem faça uso de algo que pode mudar uma realidade somente porque não concorda, sem apresentar alternativas é um tremendo CRIME.

  16. Na Upa de Lajeado a conduta é por conta de cada medico.
    Um receita antiinflamatorio,aerolin(se precisar)e algo contra dor!
    Diz q azitromicina é antibactericida e covid é viral.
    Outro receita invermectina,azitromicina e hidroxicloroquina(se o paciente quizer)🤦🏻‍♂️
    Mas paciente escolho o tratamento em pandemia??

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui