Menina com paralisia cerebral sonha em realizar festa de 15 anos em Arroio do Meio

Amanda de Azevedo Blau faz aniversário no dia 8 de fevereiro. Sua família foi atingida pela enchente em 2020 e teve situação financeira agravada, por isso pede ajuda para comemorar a data.


0
Amanda está sempre sorrindo e alimentando seus sonhos (Foto: Gabriela Hautrive)

Com um sorriso largo e sempre feliz, assim é Amanda de Azevedo Blau, de 14 anos, moradora do Bairro Navegantes, em Arroio do Meio. Quem vê a alegria dela, nem imagina tudo o que já passou na vida e as barreiras que enfrenta diariamente. Portadora de paralisia cerebral, Amanda possui dificuldades para falar, se alimentar, não caminha e usa fraldas, mas nada disso lhe impede de sonhar. Apesar das limitações, é muito inteligente e sabe o que quer. Com seu jeitinho, expressa o desejo de realizar uma festa de 15 anos, já que completa a idade no dia 8 de fevereiro.


OUÇA A REPORTAGEM 


Menina recebe cuidados da mãe, Cláudia de Azevedo (Foto: Gabriela Hautrive)

Ela também almeja ter uma penteadeira para fazer maquiagens e pensa no futuro, deseja ser veterinária ou então trabalhar como maquiadora, já que suas paixões são as maquiagens e os animais. Conforme a mãe de Amanda, Cláudia de Azevedo, comemorar os 15 anos com uma festa, um vestido adequado para o momento, decoração e presença de amigos e familiares, sempre foi um desejo da menina, porém, a família foi afetada pela enchente em julho de 2020, a maior do Vale do Taquari nos últimos 64 anos, e então a situação financeira ficou um pouco mais complicada, já que perderam praticamente tudo o que tinham em casa.

“A Amanda ficou bem triste, pois sempre falávamos em fazer a festinha para ela, então decidimos pedir ajuda”, explica a mãe. Essa ajuda pode vir de várias formas, seja com itens para compor a festa ou com recursos financeiros, sendo que uma das realizações da menina é ter um vestido. Assim que a reportagem foi ao ar na Rádio Independente, na manhã desta quinta-feira (21), um atelier de costura entrou em contato com a emissora para atender o pedido da adolescente, contudo, ainda são necessários outros itens para o sonho se tornar realidade. “Já vimos um lugar para fazer a decoração, tudo gera custos, por isso estamos pedindo a colaboração de quem puder nos ajudar”, relata Cláudia.

Apesar de limitações nos movimentos da mão, Amanda aprendeu a fazer maquiagens assistindo vídeos na internet (Foto: Gabriela Hautrive)

Apesar de limitações nos movimentos da mão, Amanda aprendeu a fazer belas maquiagens assistindo vídeos na internet e o que também é um sonho para a menina é ter um local apropriado para fazer maquiagens. “Na enchente perdemos todas as coisas dela e ela ficou muito triste, então algumas pessoas doaram, mas como ela é especial, não fica em pé e nem em cadeira, então fica no chão, se alguém quiser ajudar, precisa ser uma penteadeira adaptada”, diz a mãe.

Período na UTI e 1% de chance de vida

Atualmente Amanda mora com seus pais José e Cláudia. O pai é quem trabalha para garantir o sustento da família, já que ela precisa de cuidados 24h por dia, então sua mãe dedica o tempo para isso. Quando nasceu, a adolescente teve complicações no parto, afetando os pulmões e falta de oxigênio. Esses fatores causaram uma paralisia cerebral. “A Amanda faz a gente lutar por tudo, como perdemos as coisas na enchente, ficamos muito tristes, e ela nos dá superação, conseguimos ver que tudo tem solução, todos que conhecem ela falam dessa tranquilidade e desse carinho que ela, é tudo, é um ser de luz para nós”, relata.

Ela venceu muitas barreiras até chegar a sonhar com sua festa de 15 anos. A primeira delas foi nos primeiros minutos de vida, em que precisou ir para UTI, em Tramandaí, pois não haviam vagas em hospitais da região. Depois disso, ficou 29 dias internada, sendo que nove deles estava em coma. Médicos chegaram a comunicar para família, que a menina tinha apenas 1% de chances de viver. São batalhas que motivam a mãe da menina a nunca desistir e sempre lutar para realizar os sonhos da filha.

A paralisia cerebral, doença que Amanda tem, é um conjunto de desordens permanentes que afetam o movimento e postura. Os sintomas ocorrem devido a um distúrbio que acontece durante o desenvolvimento do cérebro, na maioria das vezes antes do nascimento. Os sinais e sintomas aparecem durante a infância ou pré-escola. Os sintomas incluem reflexos exagerados, membros flexíveis ou rígidos e movimentos involuntários. O tratamento a longo prazo inclui fisioterapia e outras terapias, medicamentos e, às vezes, cirurgia.

Como ajudar

Para quem deseja ajudar a realizar os sonhos da Amanda ou contribuir de alguma forma com a família, pode entrar em contato com a mãe da menina através do telefone 9 9173-7695 ou então ir até a casa onde moram para conhecer a menina. Elas residem na Rua Campo Sales, no Bairro Navegantes, em Arroio do Meio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui