Menina de Arroio do Meio, com paralisia cerebral, realizará a tão sonhada festa de 15 anos

Amanda de Azevedo Blau teve sua história contada pela Rádio Independente e recebeu ajuda para comemorar o aniversário. Evento será promovido pela Garden Haus no dia 13 de fevereiro.


0
Festa da Amanda será com todos os itens de primeira linha que a casa possui (Foto: Garden Haus / Divulgação)

Na quinta-feira (21) da semana passada, a Rádio Independente contou a história de Amanda de Azevedo Blau, de 14 anos, portadora de paralisia cerebral, que sonha em ter uma festa de 15 anos. Sua família foi atingida pela enchente do Rio Taquari em julho de 2020, passando por dificuldades financeiras e assim dificultando a possibilidade de realizar uma festa. Mas apesar de todas dificuldades que enfrenta, Amanda está sempre feliz, e agora terá ainda mais motivos para sorrir.

Desde que seu desejo foi compartilhado com os ouvintes da emissora e leitores do portal independente.com.br, muitas pessoas entraram em contato para que o sonho se tornasse realidade e a menina terá no dia 13 de fevereiro a sua festa para comemorar os 15 anos de vida.

Parte de fora da casa Garden Haus (Foto: Garden Haus / Divulgação)

OUÇA A REPORTAGEM 


Proprietários da Garden Haus, Vanderlei e Patrícia Kolling (Foto: Gabriela Hautrive)

Um dos responsáveis por atender o pedido é o casal Vanderlei e Patrícia Kolling, proprietários da Garden Haus – Centro de Eventos, em Lajeado. Eles vão garantir que a menina tenha tudo que uma tradicional festa tem, inclusive com coisas além do que ela estava esperando. Vanderlei Kolling conta que tomou conhecimento da história e imediatamente pensou em ajudar, mesmo estando desde março de 2020 sem poder realizar eventos por conta da pandemia.

“Tenho um pensando de que para colher é necessário plantar, e é inquestionável o desejo que a Amanda tem por realizar esse sonho. Comentei com os parceiros que temos na Garden e eles prontamente abraçaram a ideia e vamos realizar esse sonho”, conta.

Amanda e sua mãe, Cláudia de Azevedo, foram até o local para conhecer o espaço e mesmo sem ver a decoração, já ficaram emocionadas. “Comunicamos ela que aqui seria a festa, ligamos o som e a iluminação, ela entrou numa emoção tão grande, com um sorriso no rosto, que contagiou todos que estavam aqui”.

A casa colocará à disposição buffet, decoração, cabine para fotos, garçons e muitos outros detalhes, como relata a cerimonialista Patrícia Kolling. “Vai ser uma festa bem organizada, vamos dar nosso melhor, com tudo de primeira, como qualquer pacote que vendemos, ela terá o que temos de melhor para oferecer”.

A profissional ainda acrescenta que o desejo da Amanda vai ao encontro da proposta que tem o empreendimento. “A Garden Haus é uma fabrica de sonhos, e quando vimos a reportagem e que era um sonho, não tinha como a gente não se mobilizar”. O grande dia ainda não chegou, mas mesmo assim, já está emocionando os organizadores.

“Vai ser uma festa ímpar, emocionante e gratificante, esses meses que passamos por conta da pandemia não foram fáceis, mas estamos em pé. Eu estou ansiosa, a emoção toma conta da gente”, destaca. Além de tudo o que está programado, a festa ainda conta com surpresas que serão reveladas apenas na hora do evento.

A mãe de Amanda, Cláudia de Azevedo conta que faltam palavras para descrever tudo o que está acontecendo. “Nós choramos de felicidade e emoção, vai ser muito mais do que aquilo que íamos conseguir fazer. Só tenho agradecer a tantas pessoas boas que estão nos ajudando”. Também são parceiros da festa profissionais que trabalham com a Garden Haus.

“Entramos em contato e eles prontamente abraçaram a causa com a gente”, conta Vanderlei Kolling. As empresas são a Excellence Garçons; Festa na Kabine e André Mallmann, que será o responsável pelas flores da decoração. Além disso, contam com a equipe da Garden, uma empresa familiar. O vestido da menina foi oferecido pela loja Divine Moda e Festa, de Estrela. Alguns DJ’s já entraram em contato para fazer parceria, mas ainda não há um nome confirmado. Também há um salão de beleza parceiro da iniciativa.

Cuidados por conta da pandemia

Por estarmos em um momento de pandemia, em que aglomerações não são permitidas, a festa de Amanda cumprirá todos os protocolos de distanciamento e cuidados com higiene pessoal. A cerimônia será para familiares e amigos próximos da família. “Poderíamos colocarmos mais pessoas, mas vamos com menos para tomar os cuidados e a casa grande, então teremos toda a segurança necessária”, diz Patrícia Kolling.

História de Amanda

Amanda tem dificuldades para falar, se alimentar, não caminha e usa fraldas, mas nada disso lhe impede de sonhar. Apesar das limitações, é muito inteligente e sabe o que quer. Atualmente mora com seus pais José e Cláudia. O pai é quem trabalha para garantir o sustento da família, já que ela precisa de cuidados 24h por dia, então sua mãe dedica o tempo para isso.

Uma das paixões de Amanda são as maquiagens (Foto: Gabriela Hautrive)

Quando nasceu, a adolescente teve complicações no parto, afetando os pulmões e falta de oxigênio. Esses fatores causaram uma paralisia cerebral. “A Amanda faz a gente lutar por tudo, como perdemos as coisas na enchente, ficamos muito tristes, e ela nos dá superação, conseguimos ver que tudo tem solução, todos que conhecem ela falam dessa tranquilidade e desse carinho que ela, é tudo, é um ser de luz para nós”, relata.

A menina venceu muitas barreiras até chegar a sonhar com sua festa de 15 anos. Uma delas foi nos primeiros minutos de vida, em que precisou ir para UTI, em Tramandaí, pois não haviam vagas em hospitais da região. Depois disso, ficou 29 dias internada, sendo que nove deles estava em coma. Médicos chegaram a comunicar à família que a menina tinha apenas 1% de chances de viver. São batalhas que motivam a mãe da menina a nunca desistir e sempre lutar para realizar os sonhos da filha.

A paralisia cerebral, doença que Amanda tem, é um conjunto de desordens permanentes que afetam o movimento e a postura. Os sintomas ocorrem devido a um distúrbio que acontece durante o desenvolvimento do cérebro, na maioria das vezes antes do nascimento. Os sinais e sintomas aparecem durante a infância ou pré-escola. Os sintomas incluem reflexos exagerados, membros flexíveis ou rígidos e movimentos involuntários. O tratamento a longo prazo inclui fisioterapia e outras terapias, medicamentos e, às vezes, cirurgia.

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui