Mestre de obras fala das mudanças na construção civil

"Antigamente, o pedreiro era também encanador, eletricista, azulejista, mas hoje isso não é mais aceitável", diz


1
Foto: Joel Alves

Márcio José de Morais é natural de Boqueirão do Leão, e há mais de 20 anos mora em Lajeado. Sua carreira profissional começou como servente de pedreiro, depois passou a ser pedreiro e hoje sua função é mestre de obras.

Durante estes 21 anos que trabalha na construção civil, percebeu muitas mudanças. Entre elas, viu a profissionalização das diferentes funções de uma obra. “Antigamente, o pedreiro era também encanador, eletricista, azulejista, mas hoje isso não é mais aceitável. Hoje nossas construções são divididas em equipes, cada uma tem uma tarefa definida, e os melhores profissionais em cada setor. O pedreiro é um ótimo pedreiro, o azulejista só faz isso e assim por diante”, relata Morais.


ouça a entrevista

 


Outra mudança significativa é quanto à alimentação. Atualmente, um grande número de trabalhadores recebe o almoço em marmitas na obra, não sendo mais necessário levarem de casa. “Antes trazíamos a comida de casa, esquentava em uma lata e pronto. Hoje recebemos ela quentinha aqui na obra”, fala satisfeito o mestre de obras.

Apesar de muitas mudanças e melhoras, os trabalhadores da construção civil continuam trabalhando cerca de dez horas por dia, e muitas vezes precisam enfrentar o sol escaldante, frio e a chuva.

Texto: Joel Alves

1 comentário

  1. Profissional que trabalha muito mesmo, 3 deve ter reconhecido o seu esforço diário. Gosto muito dessa atividade,cela demostra progresso, coisa nova, reforma e melhorias na vida das pessoas. É um profissional que ainda deverá ter seu trabalho mais reconhecido e valorizado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui