Método inovador ajuda mulheres a recuperar o abdômen pós-gestação

Idealizadora do MRA, a professora de educação física Indianara Gonçalves explica como exercícios respiratórios e posturais ajudam nessa recuperação, sem necessidade de cirurgia


0
Indianara Gonçalves é proprietária do IG Training (Foto: Tiago Silva)

O programa Papos de Mulher desde sábado (27) conversou com a Indianara Gonçalves, formada em educação física, instrutora, proprietária do IG Training e idealizadora do MRA, um método específico para a região abdominal que traz uma perspectiva direcionada para mulheres que passaram por uma ou mais gestações, seja recente ou de longa data, e nunca tiveram as consequências físicas dessa gestação na região do abdômen atendidas de modo satisfatório.

Conforme Indianara, o MRA não é um jeito de fazer abdominais, não é uma dieta restritiva, muito menos um treino exaustivo na academia, mas técnicas de respiração que trabalham a favor da estrutura abdominal interna, muitas vezes fragilizada após a gestação.

Com apenas 10 minutos de prática por dia, o corpo se recondicionará de modo que a mulher possa voltará a caber nas roupas de antes da gravidez. Segundo Indianara, a mulher terá um abdômen mais definido e colocará um fim à pochete que nunca se livrou.

O método também é um aliado na melhora postural, na redução das dores lombares, no funcionamento do intestino e no combate ao escape de urina.

Foto: Tiago Silva

A instrutora diz que é um esforço complexo e simples ao mesmo tempo. Ela observa que esses problemas não são corrigidos a contento com o exercício convencionais. “Emagrece, mas a barriguinha continua ali”, diz ela. Em função disso, muitas mulheres buscam saídas como cinta modeladora, gel redutor e “seca barriga”, mas ficam frustradas.

Ela explica que essa barriga muitas vezes não é gordura, mas projeção da estrutura abdominal através da diástase, um problema comum entre as mulheres, principalmente após o parto ou obesidade, ocorrendo a deformação do abdome pelo afastamento dos músculos reto abdominais.

Indianara diz que essa musculatura se expande na gravidez, e volta ao normal em até oito semanas. Porém, há situações em que a flacidez abdominal permanece. Para superar esse transtorno, ela aborda com suas alunas uma série de exercícios respiratórios e posturais direcionados para a aproximação desse músculo sem a necessidade de cirurgia estética.

O objetivo das atividades é gerar força, competência e consciência muscular.
A professora faz três meses de acompanhamento direto com a aluna, para que aquilo se torne rotina no seu dia a dia. “10 minutos são suficientes para resultados incríveis”, afirma.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui