Ministério e Estado reconhecem possibilidade de duas UTIs pediátricas para os vales, afirma prefeito de Lajeado

De acordo com Marcelo Caumo, a leitura é que os dois projetos podem andar em paralelo


0
Prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo (Foto: Tiago Silva)

Na segunda-feira (19), uma reunião virtual entre a Prefeitura de Lajeado e técnicos do Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde do RS resultou no aval ao município e ao Hospital Bruno Born para a criação da nova UTI Pediátrica após a antiga estrutura ter sido fechada no final de junho em razão de ser uma UTI mista, que atendia pacientes neonatais e pediátricos — situação não mais permitida pela legislação.

Para o prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo, foi uma reunião produtiva para solução de problemas. Conforme ele, não é fácil reunir todos esses atores em um encontro para debater um assunto como este. O chefe do Executivo destaca que a União e o Estado reconhecem a possibilidade de duas UTIs pediátricas para os vales do Rio Pardo e Taquari, uma localizada em Lajeado, no Hospital Bruno Born, e outra no Hospital São Sebastião Mártir, em Venâncio Aires. De acordo com o prefeito, a leitura é que os dois projetos podem andar em paralelo. 

Caumo entende que a estrutura de Lajeado pode ser disponibilizada à comunidade de modo mais rápido, pois é uma UTI que não precisa ser construída do zero, e sim adaptada. “A proposta está cadastrada e precisa do tramite burocrático”, explica, sobre os contatos com o Ministério da Saúde. Conforme ele, ainda faltam alguns degraus, principalmente em relação ao custeio, pois é um serviço extremamente especializado.

 

Conforme o projeto preliminar do Hospital Bruno Born, a instalação da nova UTI Pediátrica tem um custo estimado de R$ 1.750.000,00 para a reformulação do espaço, outros R$ 1.550.000,00 para aquisição dos equipamentos e, posteriormente, recursos no valor de R$ R$ 400.000,00 para custeio (pagamento de salários, dos insumos e medicamentos).

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui