Moradores do Loteamento Popular de Estrela mantêm esperança em manutenção da área de terras do bairro; prefeitura vai construir 40 casas

Prefeitura de Estrela revoga cessão de terras e vai construir casas para atingidos nas enchentes


0
Foto: Marcelo Cardoso

O governo de Estrela revogou a cessão de terras para Loteamento Popular e vai construir 40 casas para atingidos nas enchentes. Em 2019, a prefeitura fez uma cessão de uso de uma área institucional para a comunidade do Loteamento Popular 3, 4, 5 e arredores, através da associação de moradores do bairro.

Após a catástrofe climatológica registrada em setembro de 2023 e maio de 2024, o governo do estado do Rio Grande do Sul instituiu um programa de construção de habitações populares para contemplar os municípios atingidos pelas enchentes. Na cidade de Estrela serão construídas 40 casas. Em contrapartida, o município deverá ceder áreas de terras para a instalação dessas moradias e um dos locais será a área do Loteamento Popular.


ouça a reportagem

 


A associação de moradores do Bairro Boa União, Loteamento Popular, reclama da retirada da doação do imóvel por parte da prefeitura e pede que esta decisão seja revista pela prefeitura. A ideia era usar o terreno para a construção da sede. Projeto de revogação da doação já foi aprovado na câmara de vereadores na última sexta-feira (21).

Segundo o presidente da associação dos moradores, Darci Bucker (64), foram realizadas algumas reuniões com o prefeito Elmar Schneider e equipe, mas os moradores não foram atendidos. “Áreas para fazer essas moradias não faltam em Estrela. Esse terreno é da associação dos moradores. Por um capricho do prefeito, o primeiro lugar que ele foi mexer é aqui. Fizemos reuniões e pedimos para salvar nossa área do bairro que necessita construir creches e área para as crianças. Pedimos para salvar nossa área do bairro e construir em outro local. Mas o prefeito está irredutível, ele te diz uma coisa e quando a gente vira as costas ele fala outra”, conta ele.

Presidente da associação de moradores do Loteamento Popular em Estrela, Darci Bucker (Foto: Marcelo Cardoso)

O representante dos moradores diz saber da necessidade de construir casas para quem perdeu, mas não gostaria que fosse na área do bairro. Sabemos que muitas pessoas precisam de casas novas, respeitamos isso, mas não precisava ser na nossa área do bairro, onde queríamos fazer a sede. A cidade tem vários outros locais. E não precisa de apenas 20 ou 40 casa, o município necessita de cerca de mil residencias. Tem tanto lugar, porque aqui? É isso que eu pergunto ao Sr. Elmar Schneider”, cita o presidente do bairro.

O presidente da associação dos moradores comenta que nada foi realizado no local até agora porque a ideia era construir algo relevante e não algo pequeno e que fosse pouco utilizado. “Durante os anos de mandato do prefeito, só agora ele descobriu o nosso bairro. Não existiu a parceria (para construir algo) no local. E nós não fizemos nada, porque não queríamos fazer algo pequeno, quando fizer, que seja algo importante para o bairro. E não tinha nenhuma clausula na cedência das terrenas. Fomos pegos de surpresa (com a retirada da área de terras)”, finaliza Bucker.

Os trabalhos de terraplanagem na área de terras iniciou na manhã desta quarta-feira (26). A ideia da prefeitura de Estrela é a construção de 40 casas através do programa de habitações populares do governo do estado que contempla os municípios atingidos pelas enchentes.

Marcelo Cardoso
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui