Moradores reclamam da falta de fiscalização e condição da ERS-129 em Colinas

Chegada até o município está levando aproximadamente 30 minutos, e diversos buracos causam preocupação


0
Foto: Vinicius Mallmann

Após a queda das duas pontes que ligavam as regiões alta e baixa do Rio Taquari, entre Arroio do Meio e Lajeado, a ERS-129, que inicia em Estrela, passa por Colinas e segue por Roca Sales, se tornou uma rota alternativa para quem deseja realizar o trajeto. Mesmo com a recolocação da Ponte de Ferro, a via ainda é utilizada por veículos de carga, que não possuem condições de passar pela travessia histórica.

Com o alto fluxo de veículos, especialmente de carga, a ERS-129 possui diversos pontos onde o asfalto sucumbiu e apresenta muitos buracos, que causam transtornos aos usuários. Além disso, na chegada ao município de Colinas, o acúmulo de veículos também vem causando transtornos.

Conforme uma moradora, que acionou a reportagem da Rádio Independente, em horários de pico, filas se formam e acaba se criando uma confusão. “Antes de recolocar a ponte de ferro, quando aqui era a única solução, tínhamos fiscalização e manutenção, hoje já estamos abandonados”, relatou Cheila Muller.

De acordo com o seu relato, para evitar transtornos maiores, os próprios moradores estão auxiliando os motoristas para que o trânsito possa fluir. “Estamos dando nossa cara a tapa. Nos paramos no meio da rua, porque senão não tem solução. O número de caminhões que passa aqui é grande e tem as fábricas que largam os funcionários na mesma hora, aí tranca tudo”, disse.

A reportagem da Rádio Independente procurou o Comando Rodoviário da Brigada Militar de Encantado, que relatou uma diminuição no efetivo em comparação ao que estava disponível no período pós enchente. Diante disso, os policiais acabam cumprindo outras demandas e não conseguem atender todas situações.

A Prefeitura Municipal de Colinas também se demonstrou preocupada em relação à via. Conforme a vice-prefeita, Regina Sulzbach, o poder público está em contato direto com o governo do Estado para arrumar uma solução.

Texto: Vinicius Mallmann
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui