O ex-ditador do Panamá, Manuel Antonio Noriega, morreu na noite de segunda-feira (29), aos 83 anos, em um hospital, na Cidade do Panamá.

O antigo “homem forte” do Panamá governou o país entre os anos de 1983 e 1989, quando foi derrubado por uma invasão dos Estados Unidos. Noriega estava internado em uma unidade de terapia intensiva (UTI), em estado grave, desde o dia 7 de março, quando lhe foi removido um tumor cerebral benigno.

Considerado um militar sem escrúpulos, o temido ditador panamenho manteve relações simultâneas com o narcotraficante colombiano Pablo Escobar, o líder cubano Fidel Castro e com vários serviços de inteligência.

Em sua trajetória foram registrados casos de opositores assassinados, fortunas duvidosas, condenações por narcotráfico, uma invasão militar e denúncias repetidas de traição.G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui