Morre o ex-presidente da Fiergs Heitor José Müller

Aos 81 anos, Müller estava internado há uma semana com problemas respiratórios, cardíacos e renais, não relacionados à Covid


0
Foto: Divulgação

O ex-presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs) Heitor José Müller morreu nessa terça-feira (8), aos 81 anos. Natural de Tupandi, Müller estava internado há uma semana no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre, com problemas respiratórios, cardíacos e renais, não relacionados à Covid. O velório está previsto para ocorrer em Montenegro, na capela mortuária da Funerária Vargas.

“Ao ser informado do falecimento do ex-presidente Heitor José Müller, presto minha solidariedade a todos os seus familiares, amigos e companheiros das Diretorias das duas gestões em que presidiu a Federação e o Centro das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul”, afirmou o presidente da Fiergs, Gilberto Porcello Petry, ao acrescentar que hoje até o fim desta semana, as bandeiras do Brasil e do Rio Grande do Sul que emolduram a sede das entidades ficarão a meio mastro, como forma de luto pela perda.

O industrial assumiu a presidência da Fiergs e do Ciergs pela primeira vez em julho de 2011, tendo sido reeleito em 2014 para um segundo mandato consecutivo de três anos, até julho de 2017. Nesse cargo, também administrou o Serviço Social da Indústria (Sesi-RS), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-RS) e o Instituto Euvaldo Lodi (IEL-RS). Heitor Müller presidiu a União Brasileira de Avicultura (UBA), foi vice-presidente da Associação Brasileira dos Exportadores de Frangos (ABEF), presidente da Associação Gaúcha de Avicultura (Asgav) e fundador e presidente do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Rio Grande do Sul (Sipargs).

No Sistema Fiergs/Ciergs, foi vice-presidente e, antes, como diretor das entidades, coordenou vários Conselhos Temáticos. Sua atuação empresarial começou no setor de avicultura, evoluindo para a engenharia genética e fundição, com empreendimentos no Estado. A trajetória industrial vai da Frangosul, até ser adquirida por capitais franceses, à Agrogen (hoje Vibra) e Fundimisa.

Fonte: Fiergs

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui