Mulheres são as mais afetadas pelos impactos da pandemia no mercado de trabalho

Sete milhões de mulheres abandonaram o mercado de trabalho na última quinzena de março, segunda levantamento.


0
Foto: PORTAL CATARINAS

As mulheres trabalhadoras são as mais impactadas negativamente nesta crise sanitária provocada pela pandemia do novo coronavírus. Muitas foram demitidas, tiveram seus salários reduzidos ou precisaram pedir demissão para cuidar dos filhos ou de parentes com comorbidades desde o início da pandemia, em março. É que elas estudam mais, porém são as cuidadoras das famílias nessas horas.

Pesquisa feita pela Famivita, empresa que desenvolve produtos relacionados à fertilidade, mostra que as mais prejudicadas são as mulheres que têm filhos pequenos.

Segundo o estudo, 35% das brasileiras perderam empregos durante a pandemia, incluindo as trabalhadoras informais. Entre as mães com filhos pequenos, o percentual sobe para 39% – outros 52% perderam renda.

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), do IBGE, sete milhões de mulheres abandonaram o mercado de trabalho na última quinzena de março, quando começou a quarentena. São dois milhões a mais do que o número de homens na mesma situação. Enquanto as mulheres estão numa taxa de desemprego de 14% os homens estão em 12%.

Fonte: mundosindical.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui