Município de Westfália oferece oficina de flauta 

Estudantes podem participar da atividade a partir dos seis anos de idade, ao iniciarem o processo de alfabetização


0
Foto: Paloma Driemeyer Valandro/AI

Desenvolver habilidades motoras e sensoriais que auxiliam no processo ensino-aprendizagem são alguns dos benefícios oferecidos pela oficina de Flauta Doce. A atividade integra o projeto “Cultura e Movimento”, idealizado pela Secretaria de Educação, Cultura, Turismo e Desporto (SMEC) de Westfália, e pode ser frequentada por estudantes que já tenham iniciado o processo de alfabetização.

No Município, a oficina de Flauta Doce é oferecida de forma semanal, nas terças-feiras pela manhã. Coordenadas pelo professor William Bayer, as aulas têm por local o Bloco B da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Vila Schmidt.

Podem participar, mediante inscrição, estudantes da rede municipal de ensino que tenham a partir de seis anos de idade e estejam cursando do 1º ao 5º Ano. As oficinas do projeto “Cultura e Movimento” têm contribuição mensal de R$ 10,00, recurso que é utilizado como auxílio na compra de materiais necessários para o desenvolvimento das atividades.

Inscrições para a oficina de Flauta Doce ainda podem ser efetuadas. Basta manifestar interesse nas secretarias das escolas da rede municipal de ensino ou pelo telefone (51) 9 9706-9537, com a professora Denise Mattes.

“O ensino da música auxilia no processo ensino-aprendizagem”

A oficina de Flauta Doce permite maior contato da criança com a musicalização. “É um instrumento de fácil manuseio e de valor acessível. Ao participarem da oficina, os alunos desenvolvem habilidades motoras e sensoriais que auxiliam no processo ensino aprendizagem”, destaca o professor responsável pela oficina no Município, William Bayer.

Dentre os benefícios proporcionados pelo ensino da música, pode-se mencionar: ativa a memória e o raciocínio lógico, estimula a alfabetização, melhora a concentração, integra corpo e mente, e desenvolve competências socioemocionais. “A música contribui para o desenvolvimento integral da criança, de forma cognitiva, motora e social. Ela provoca sentimentos de bem-estar, desenvolve a atenção, concentração e estimula a criatividade, além de aspectos específicos da arte: capacidade rítmica, afinação, coordenação motora e, ao fim, dá continuidade e estabilidade às culturas e tradições de um povo”, acrescenta o professor.

Segundo William, durante o processo de aprendizagem, ainda são realizadas pequenas avaliações orais que permitem identificar se o estudante já está apto a transitar por demais instrumentos, como a Flauta Transversal e o Saxofone, por exemplo. AI/VM

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui