Músico natural de Paverama, Márcio Staggemeier, é o novo baixista do Bee Gees Immortality Tribute


0
Foto: Divulgação

O músico natural de Paverama, Márcio Staggemeier, ou “Marcinho” será o novo baixista da banda Bee Gees Immortality Tribute. A estreia dele está prevista para o dia 30 de setembro, no Teatro do Bourbon Country, em Porto Alegre.

Staggemeier é natural de Paverama, mas há alguns anos reside em Teutônia. Desde os 15 anos é músico profissional e baixista. “Iniciei a carreira tocando em bandas de baile de diversos estilos, o que ajudou muito em minha formação musical, pois desde cedo aprendi a importância de ser versátil e ter um vocabulário amplo”, explica.

Além de ser professor de música, ele trabalha como arranjador e músico de estúdio. Mas segundo ele, nada se compara ao palco. “Para mim é o melhor lugar do mundo, independentemente do estilo que eu for tocar, faço todos com a mesma paixão.”

Aliás, foi a versatilidade do artista que possibilitou nestes anos todos trabalhar em estilos que vão desde o rock, passando pelo pop, mpb, música nativista, sertaneja e, como consequência, construir um nome e respeito dentro do meio.

Foram nestes palcos da vida que Cris Selle, tecladista e diretor musical do Bee Gees Immortality Tribute conheceu o trabalho de Marcinho. “O tempo passou e a oportunidade surgiu. E eu, claro, aceitei o convite.”A novidade surge após algumas mudanças na banda, que retoma o trabalho com força total após a pandemia.

O show tributo ao Bee Gees leva ao palco uma experiência completa de um show da lendária banda. No palco são nove músicos, vindos da Argentina, Chile e Brasil. Em 2023, deverá ocorrer uma turnê pelo Brasil e também já há negociações de shows pela América do Sul.

“Para mim é uma felicidade imensa, um reconhecimento e tanto fazer parte deste projeto. Poder colocar em prática toda a experiência musical que acumulei nestes anos e, de quebra, ainda em favor de um repertório que eu adoro, pois sou um grande fã de Bee Gees.”

A rotina de vida do artista já mudou. Marcinho faz ensaios constantes e estuda o repertório, até que os ensaios oficiais com o grupo comecem. Isso deve ocorrer de forma intensa no período que antecede o show na capital gaúcha.

Texto: Rita de Cássia
redacao@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui