Na falta de motoristas de ônibus, policiais levam crianças às escolas nos EUA; estados oferecem bônus de até R$ 21 mil para novos profissionais

Uma cidade precisa de 400 motoristas de ônibus e adiou a volta às aulas em duas semanas; em um estado, os pais que levarem seus próprios filhos para a escola vão ganhar R$ 3.600


0
Os ônibus escolares em um pátio de St. Louis, nos EUA, em março de 2020 (Foto: Jeff Roberson/AP)

Faltam motoristas de ônibus escolares nos Estados Unidos, e o governador do estado de Massachusetts mandou a polícia levar as crianças para a escola

O ano letivo nos Estados Unidos começa em setembro, depois do verão no Hemisfério Norte. Em 2021, alguns estados do país têm tido dificuldade para contratar motoristas de ônibus escolares. Até agora, os administradores públicos ofereceram um bônus de contratação para que novos profissionais se apresentem.

O governador de Massachusetts, Charlie Baker, mandou 250 agentes da Guarda Nacional levarem as crianças para a escola até resolver o problema da falta de motoristas. Ele anunciou a medida em uma rede social.

“O transporte seguro e confiável para a escola todos os dias é crítico para a segurança e educação de nossas crianças”, ele afirmou.

Os agentes começaram nesta terça-feira (14). No início, 90 guardas vão levar ônibus com crianças em quatro cidades.

Governos oferecem bônus a novos motoristas

A falta de motoristas tem atrapalhado os alunos, que têm chegado atrasados às aulas.

Segundo o jornal “Washington Post”, uma parte dos motoristas encontrou outra ocupação durante o auge da pandemia de coronavírus, quando as escolas fecharam. Outros têm receio de trabalhar em um ônibus cheio de crianças que não foram vacinadas. Além disso, há uma onda de aposentadorias.

Os órgãos de educação têm feito campanhas para contratar novos motoristas. Anunciam-se como benefícios o salário por hora e os benefícios. Algumas cidades resolveram pagar um bônus de até US$ 4.000 (cerca de R$ 21 mil) para os novos motoristas. Outras resolveram dar um bônus de US$ 500 (R$ 2.600) aos motoristas que indicarem novos profissionais.

O estado de Delaware resolveu oferecer dinheiro aos país para que levem seus próprios filhos para a escola (a oferta é de US$ 700, ou cerca de R$ 3.600).

A cidade de Pittsburgh precisa de mais de 400 motoristas, e resolveu adiar a volta às aulas em duas semanas.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui