Na Ucrânia, Ministério da Defesa é criticado por forçar mulheres soldados a marchar de salto alto

Parlamentares de oposição criticaram a ideia. Haverá um grande desfile militar na Ucrânia para comemorar os 30 anos de independência da União Soviética


0
Pernas de mulheres das Forças Armadas da Ucrânia que foram obrigadas a marchar de alto alto (Foto: Ukrainian Defence ministry press-service / AFP)

Há uma controvérsia na Ucrânia por causa de fotos de mulheres soldados do país com sapatos de salto alto em uma parada militar —uma espécie de scarpin.

Na sexta-feira (2), o Ministério de Defesa divulgou fotos de soldados de farda marchando com sapatos de salto alto estilo scarpin.

O sapato faz parte das roupas oficiais das militares, mas originalmente são usados apenas para ocasiões formais, e não para marchar com o uniforme de batalha.

Uma cadete afirmou que é mais difícil marchar com esse tipo de sapato do que em botas.

A Ucrânia fará um desfile militar no mês de agosto para comemorar os 30 anos de independência após o fim da União Soviética.

Parlamentares da oposição criticaram o sapato das militares. Eles sugeriram que o ministro da Defesa compareça ao desfile militar de scarpin.

Para os parlamentares, as soldados mulheres estão defendendo o país, arriscam as próprias vidas e não merecem ser objeto de piada —além de haver riscos para a saúde.

De acordo com o “The New York Times”, o Ministério da Defesa desistiu da ideia.

Segundo o jornal “The Guardian”, a deputada Olena Kondratyuk afirmou que as autoridades deveriam pedir desculpas às soldados.

Conforme ela, mais de 13.500 mulheres que já lutaram no conflito entre a Ucrânia e separatistas no leste do país que são apoiados pela Rússia (mais de 13 mil pessoas morreram no conflito desde 2014).

Hoje, mais de 31 mil mulheres servem nas Forças Armadas.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui