“Não aconteceram”, diz o deputado Faisal Karam sobre obras nas escolas estaduais durante a pandemia 

Segundo o parlamentar, 640 obras em escolas ficaram paradas durante este mais de um ano de pandemia. Ele preside a Frente Parlamentar "Obras Nas Escolas Estaduais do RS"


0
Deputado estadual Faisal Karam (PSDB) (Foto: Rodrigo Gallas)

As obras nas escolas estaduais do Rio Grande do Sul durante a pandemia de coronavírus “não aconteceram”, diz o deputado estadual Faisal Karam (PSDB). O parlamentar foi o entrevistado do bate-papo do programa Panorama da manhã desta sexta-feira (14). Ele é o presidente  da Frente Parlamentar “Obras Nas Escolas Estaduais do RS (iniciadas, inacabadas e concluídas)” e já foi secretário de Educação no RS no ano de 2019. Segundo Kairam, 640 obras em escolas que estavam em andamento ficaram paradas durante este mais de um ano de pandemia.


ouça a entrevista

 


 

“Por mais que se tenham recursos as coisas não saem do papel”, lamenta Faisal sobre a falta de efetividade do Estado em promover obras nas escolas.

“A estrutura é feita para não funcionar. Tu tens o dinheiro para fazer boa parte das atividades de custeio de manutenção, mas tu não conseguem gastar por falta de projetos, falta de profissionais, falta de agilidade de liberação de recursos. O Estado do RS recolhe 12 meses por ano, mas investe no máximo oito ou nove”, completa o deputado.

“Por ter saído frustrado nesta pauta de obras, isto fez com que nos provocasse, juntamente com um grande número de deputados, a criar esta Frente Parlamentar.” A ideia através da “Frente” é incentivar iniciativas que permitam identificar os principais gargalos no âmbito das obras emergenciais e programadas.

Nesta semana, reportagem do Grupo Independente revelou que o colégio Fernandes Vieira, de Lajeado, adiou a volta de três turmas pela falta de estrutura. O assoalho das salas têm buracos desde a enchente de agosto de 2020.

Faisal também é relator da CPI instalada na Assembleia Legislativa que investiga abusos nos preços do “Kit Covid”.

Texto: Rodrigo Gallas
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui