“Não é somente a maneira que o vírus mata, mas sofrer a distância é muito ruim”, diz irmão e tio de vítimas de Covid-19

Pai e filho morreram da doença causada pelo novo coronavírus, com intervalo de uma hora.


0
Marcos Engel e o irmão Gilmar, vítima de coronavírus, ao fundo (Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação)

Pai e filho de família do Vale do Taquari morreram por Covid-19. A tragédia foi confirmada na madrugada desta terça-feira, com uma hora de diferença entre as mortes. Gilmar Engel (56) era natural de Santa Rosa e estava internado no Hospital Bruno Born (HBB). Ele residia atualmente em Lajeado e faleceu por volta da 1h. Seu filho, Rodolfo Felipe Engel Neto (32), que morava em Cruzeiro do Sul, estava no Hospital de Clínicas de Porto Alegre e teve o óbito confirmado uma hora depois do pai. Gilmar era diabético e ambos tinham obesidade, o que eleva o risco em caso de contaminação pela Covid-19. Além deles, a esposa de Gilmar e mãe de Rodolfo está internada no HBB com coronavírus.


ouça a entrevista

 


Em entrevista no programa Rádio Repórter nesta terça-feira (5), o irmão de Gilmar, Marcos Engel, de 38 anos, falou sobre como a família está encarando esta tragédia. Ele, dois irmãos e os pais residem em Santa Rosa, município de 73 mil habitantes situado na região noroeste do Rio Grande do Sul, distante cerca de 400 quilômetros de Lajeado, e que tem seis casos de Covid-19.

“A situação é muito difícil. Desde o início, quando começam os sintomas da doença, a apreensão é grande”, diz o familiar. “A doença é muito triste, sofre quem partiu e sofre nós, que ficamos vivos aqui sem poder se abraçar, se tocar, sem poder consolar um ao outro. A doença mata e leva as pessoas, mas deixa um pouco de morte em quem está vivo”, lamenta ele. “Não é somente a maneira que o vírus mata que faz sofrer, mas sofrer assim a distância é muito, mas muito ruim. Vamos nos cuidar, pois quem fica vivo também morre”, implora Marcos Engel.

Marcos e o irmão Gilmar num churrasco em família (Foto: Arquivo pessoal / Divulgação)

De acordo com ele, o adoecimento foi muito rápido. “Quando começou os sintomas no meu sobrinho, no meu irmão e da minha cunhada, a apreensão foi grande. Até a internação do meu irmão foi muito rápido. Simplesmente, quando vimos, já estava entubado e isolado e nós não tínhamos mais contato”, conta. “Até certo ponto, eu ainda tinha contato com meu sobrinho. Ele estava isolado em casa, esperando um tempo para fazer o teste. E a minha cunhada também já apresentava sintomas, tosse e falta de ar. Na verdade, a família toda fica numa apreensão, num estado de nervos fora de série”, detalha.

Marcos não sabe onde eles foram contaminados pela doença, nem qual foi contagiado primeiro pelo novo coronavírus. Até o momento, nenhum outro familiar mostrou sintomas.

“O meu irmão passou mal, internou e foi entubado na terça-feira (28). A minha cunhada foi para o hospital na quarta e já ficou internada. E meu sobrinho foi para o hospital na quinta e ficou internado. Eles vinham apresentado quadro uma semana antes já. De repente, o erro foi ter internado tanto tempo em casa. Não se sabe, né?”, conjectura.

“O meu sobrinho foi um susto tremendo porque, ainda ontem (4), tivemos contato do hospital que ele havia apresentado uma melhora, que seus pulmões estariam respondendo”, detalha Marcos. Rodolfo Engel Neto faleceu pela madrugada. É o mais jovem dentre as nove vítimas por Covid-19 na região.

O familiar diz que a cunhada está em processo de melhora, sem risco de óbito pela doença causada pelo novo coronavírus. “A cunhada, a princípio, está fora do risco de morte. Ela está num quadro de melhora. Estabilizou. Está no oxigênio ainda, mas se alimenta, tem como se locomover. Ela apresenta um quadro bom. A princípio, de repente, no fim de semana é para ter alta”, espera.

Gilmar foi sepultado nesta terça-feira (5) no Cemitério Municipal de Lajeado. Rodolfo Engel Neto será enterrado nesta quarta (6), no mesmo local. O irmão e tio Marcos Engel diz que a cunhada foi informada das perdas e está está consciente de tudo. “Agora ela vai lutar pela sobrevivência dela, ser forte e tocar o barco.”

Gilmar Engel e Rodolfo Engel Neto, pai e filho, faleceram pela doença causada pelo novo coronavírus. A publicação da imagem das vítimas foi autorizada por familiares (Foto: Arquivo Pessoal / Reprodução)

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui