“Não estamos propondo nenhuma aventura ou movimento insano”, afirma diretor do Colégio Teutônia

Jonas Rückert comenta protocolo criado pelo educandário para retomada das aulas com segurança. 


0
Diretor do Colégio Teutônia, Jonas Rückert (Foto: Colégio Teutônia/Divulgação)

O Colégio Teutônia desenvolveu o Projeto Tempos de Criança visando a retomada gradual das atividades presenciais. “Precisamos olhar para algumas possibilidades que a legislação permite em tempos de pandemia”, afirmou o diretor do Colégio Teutônia, Jonas Rückert, durante entrevista no programa Redação no Ar desta quinta-feira (27).


OUÇA A ENTREVISTA


Segundo o diretor, a proposta prevê oportunizar uma programação semanal, duas tardes por semana, das 13h às 16h. Neste período, são desenvolvidas oficinas e atividades individuais, como música, arte, espaço verde, oficinas de atletismo, entre outras. Para Rückert, o projeto proporciona novos formatos de interação respeitando a necessidade do distanciamento. 

O diretor do Colégio Teutônia enfatiza que a adesão ao projeto se dá de forma opcional e que a instituição segue responsável em dispor as atividades domiciliares. Rückert explica que ao aderirem ao Projeto Tempos de Criança, as famílias recebem um protocolo de pré-atividades presenciais. “ As crianças saem de casa com uma série de protocolos normalizados visando a segurança que a instituição preparou”, declara. Ainda, segundo ele, através de um aplicativo, é disponibilizado um termo, que aborda a corresponsabilidade. 

Quanto ao retorno das aulas presenciais, o diretor demonstrou preocupação com os alunos das séries finalistas,  que se preparam para o mercado de trabalho. Na visão do professor, alguns alunos das séries iniciais não estão recebendo o suporte social devido o fechamento das escolas.

“Está sendo um tempo de aprendizagem, desenvolvimento e de grande certeza de que, é possível sim, termos movimentos de aprendizagem significativos usando ferramentas que estão na nuvem e usando ambientes virtuais”, comenta o diretor sobre as aulas virtuais. “Nada substitui a significância da relação do estudante com o do professor no espaço da escola”, complementa. “Quando conciliarmos os dois aspectos de forma integral daremos um grande passo na qualidade da educação no contexto escolar, pondera. 

 “Não estamos propondo nenhuma aventura ou movimento insano”, afirma o diretor do Colégio Teutônia, acreditando que, no momento, é necessário avaliar um retorno gradativo, respeitando as decisões das  famílias e os grupos de risco.

Texto: Jonas de Siqueira
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui