Não há casos de coronavírus no regime fechado de presídios gaúchos, diz assessor da Susepe

Quando a BM ou a Polícia Civil efetuam uma prisão, o detento fica em quarentena por 14 dias. Se não apresentar sintomas, é integrado aos demais presos.


0
Foto: Susepe / Divulgação

Não foram registrados nenhum caso de coronavírus em presos no regime fechado no estado, afirma o assessor da Secretaria da Administração Penitenciária (Seapen) e da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) do RS, Paulo Bogado. Segundo ele, quando a Brigada Militar ou a Polícia Civil efetuam uma prisão, o detento fica em quarentena por 14 dias. Se não apresentar sintomas, é integrado aos demais presos.


ouça a entrevista

 


Paulo Bogado (Foto: Divulgação)

As explicações foram dadas em entrevista no programa Redação no Ar nesta quinta-feira (25), e ocorrem após 66 apenados do presídio de São Leopoldo testam positivo para Covid-19. Por ordem judicial, eles serão encaminhados para prisão domiciliar, com tornozeleira eletrônica.

“Eles ainda não foram liberados. Serão liberados a partir de amanhã (sexta-feira), com tornozeleira eletrônica. Trinta presos por dia vão para a regime domiciliar”, detalha Bogado.

A medida abrange todos os 116 indivíduos que estão no semiaberto do presídio de São Leopoldo. Todos foram testados pela Secretaria da Saúde. “Já que estão no semiaberto, o juiz entendeu por bem decretar a prisão domiciliar”, diz.

Os detentos serão monitorados até 9 de julho. “Nós vamos esvaziar a casa prisional, higienizar até 9 de julho conforme determinação da vara criminal”, diz o assessor.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui