“Não há material escolar mais rico que o tempo”, afirma promotor sobre volta às aulas

Sérgio Diefenbach pede que os pais acompanhem as atividades de seus filhos, com tempo para escuta, respeito às diferenças e paciência


0

No quadro Direto Ao Ponto, o promotor de Justiça Sérgio Diefenbach falou sobre a volta às aulas. Ele valoriza o fato de o retorno ser 100% presencial após dois anos de complicados em função da pandemia. O integrante do Ministério Público falou sobre lista de compras de materiais para os filhos. Porém, ele destacou materiais que não são físicos, mas que, em sua opinião, são mais importantes.

Diefenbach afirmou que “não há material escolar mais rico que o tempo”. De acordo com ele, os pais precisam tirar um tempo para acompanhar as atividades de ensino e aprendizagem das crianças e adolescentes. “Esse tempo vale mais que a caneta colorida, que o livro ilustrado, que o pedagogo com doutorado que escreveu o livro”, pontua.

O promotor também acrescenta a necessidade de planejamento da vida escolar da criança, com momento para estudo e local adequado para as tarefas. Diefenbach também exalta o papel da escuta. “Muitos de nós adultos não exercitamos o verbo escutar”, admite. “Nós exercemos o verbo mandar, o verbo orientar, ensinar, dizer, julgar, punir e castigar, e muito pouco o verbo escutar”, explica.

O operador do direito também cita outros aspectos como respeito às diferenças, paciência, resiliência e repetição das tarefas. “Esta lista, sim, é muito mais importante que o material escolar físico”, sustenta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui