“Nesta pandemia, a gente não pode parar de fazer exames”, afirma ginecologista

Quanto mais idade, maior o risco de se desenvolver o câncer de mama, em função do envelhecimento e mutação genética da célula.


0
Médica ginecologista Débora Bolsi de Vasconcelos (Foto: Tiago Silva)

Com a pandemia de coronavírus, muitas mulheres deixaram seus exames de rotina para diagnóstico de câncer de mama mais para frente. Porém, esta prática não é indicada, conforme ressalta a médica ginecologista Débora Bolsi de Vasconcelos em entrevista ao programa Papos de Mulher deste sábado (10).

“Nesta pandemia, a gente não pode parar de fazer exames”, afirma. “A gente tem que continuar fazendo os exames. Deu um tempo que a gente não podia fazer, mas agora vamos correr contra o tempo”, orienta Débora.


ouça a entrevista

 


Segundo a ginecologista, é importante não adiar o diagnóstico marcado para este ano. “Não esperar para fazer no ano que vem”, indica. A médica diz que, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a cobertura do exame é a cada dois anos. Porém, estudos mostram que o diagnóstico precoce via exames deve ser feito anualmente. Em alguns casos, diagnóstico precoce de tumores ocorre em 6 meses.

“Quanto mais idade, maior o risco de câncer de mama”, explica a profissional. Conforme ela, isso ocorre pelo envelhecimento e mutação genética da célula.

Para as mulheres jovens, a indicação é apalpar para ter o conhecimento de seu corpo, fazer a consulta presencial e realizar o exame de pré-cancer.

A mamografia é o melhor exame para avaliar a mama, explica a médica. Porém, em casos de mamas muito densas, somente este exame não é capaz de fornecer um diagnóstico completo. Desta forma, também se faz necessário a realização de uma ecografia.

Quando a mulher identifica nódulos palpáveis anormais em sua mama, a orientação é procurar um médico e fazer uma biópsia, mesmo no caso de jovens na casa dos 20 anos.

VÍDEO: Assista à íntegra do Papos de Mulher


Estilo, por Douglas Petry

Todo sábado, o consultor Douglas Petry traz um conteúdo especializado em moda, arte, decoração, estilo e bom gosto.

Hoje, ele destaca como usar e abusar das cores na composição do look. Ouça e faça você mesmo!

 


Papos com quem sabe

No quadro “Papos com quem sabe” deste sábado (10), temos a participação da nutricionista Mariane Halmenschlager. Vamos saber mais sobre o comer transtornado no quadro.

Ouça aí e confira!

 


Na Cozinha: Caruru

com Daniel Bortolini

 

Ingredientes:

– 2 kg de quiabo
– 2 cebolas grandes
– 3 xícaras de chá de camarão seco
– 1 colher de sopa de gengibre bem ralado
– 2 xícaras de chá de castanha de caju
– 2 xícaras de chá de amendoim
– 1 xícara de chá de azeite de dendê

Preparo:

Lave e seque os quiabos – para saber se estão bons, quebre a ponta de alguns; se quebrarem com facilidade, estão no ponto. Corte em quatro, no sentido do comprimento, e depois em rodelas. Bata no liquidificador a cebola e metade do camarão seco. Refogue essa pasta no azeite de dendê, junte o quiabo e espere amolecer.

Acrescente o camarão inteiro e misture. Bata a castanha de caju e o amendoim no liquidificador. Junte ao cozido e acerte o sal. Retire do fogo quando o quiabo estiver completamente cozido e o caruru engrossar. Sirva quente.

Receita e imagem: casavogue.globo.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui