Neto de idosa que teve morte por Covid-19, em Teutônia, explica revolta da família sobre a situação

Segundo Guilherme Azevedo Satiq (23), os familiares foram informados sobre o óbito por pneumonia grave com pontadas e uma possível infecção pelo vírus.


1
Guilherme Azevedo Satiq e a avó que faleceu (Foto: Arquivo Pessoal)

A Prefeitura de Teutônia confirmou o primeiro óbito por novo coronavírus no município neste sábado (27). A mulher de 83 anos morreu às 18h24 de sexta-feira (26), no Hospital Ouro Branco, onde estava internada desde o sábado retrasado (20). A família foi informada por volta das 20h30 do mesmo dia. Segundo a prefeitura, a paciente testou positivo para Covid-19 por meio de exame PCR feito no Lacen e confirmado na tarde deste sábado. A morte foi confirmada também pela Secretaria de Saúde do Estado na atualização deste domingo (28).

Porém, familiares da idosa estão contestando o motivo do óbito. Por meio de uma nota, a Prefeitura de Teutônia se manifestou sobre o assunto nesta segunda-feira (29). O neto da idosa, Guilherme Azevedo Satiq (23), conta que sua avó é de Bom Retiro do Sul, mas que nos últimos dois meses estava morando em Teutônia, pois precisava de cuidados dos familiares. O fato como o óbito foi informado e a causa da morte, segundo Satiq, incomodaram a família. “As coisas que nos deixaram chateados e sem entender não são de agora, são de mais de uma semana”, destaca.

Ele disse que em nenhum momento foi falado para os familiares de que a paciente teria falecido por coronavírus. “O médico nos deixou claro que a vó não faleceu pela Covid-19. Ela faleceu pelas doenças que estava, mas que poderia ter contraído o vírus um dia antes de morrer, precisávamos esperar o resultado do exame”.

A revolta começou, conforme o neto, pelo fato do médico ter dado uma informação e o hospital dado outra. “Eles nem sem quer tinham o resultado do exame nas mãos. A gente entende, por parte da família, que realmente ela não morreu pela Covid-19 e sim porque estava com pneumonia grave. Ficamos chateados por terem colocado que a causa da morte foi o vírus, sendo que não foi isso”, afirma.

Guilherme Azevedo Satiq diz que o momento é difícil, é uma dor eterna e fica complicado até falar sobre a situação. “Eu entendo que Deus levou ela para eternidade, para estar em um lugar melhor, fica os momentos bons. Ela tinha 83 anos e alguns problemas, porém dava aula de como ter força e fé”, destaca.

Sintomas e internação hospitalar

Satiq conta que a idosa estava se sentindo mal na semana passada, com febre e pressão baixa. Na terça-feira (23) foi para o hospital, onde fez diversos exames, atestando de que ela estava com pneumonia. “Na sexta-feira da mesma semana ela ficou mal de novo a pressão foi a 8.4. Então levamos novamente a vó para o hospital, onde fizeram novos exames e falaram que ela estava com suspeita do coronavírus”, conta o neto.

Como era suspeita, a idosa precisou ficar em uma sala em observação e Satiq ficou como seu acompanhante. “Passamos a noite e uma manhã naquela sala. Fizeram o reste para Covid-19 e deu negativo. Na parte da tarde mandaram ela para o quarto normal juntamente com outras pessoas”. Depois disso, segundo o familiar, a paciente recebeu resultado dos exames sobre um pneumonia grave, informando que ela estava com um pulmão parado e outro funcionando com 50% da capacidade.

A partir disso passou a semana fazendo tratamento paro tratar os pulmões. “O disse que o estado era grave e pediu para avisarmos a família que poderia ter risco de perdermos a vó. E assim foi feito, avisamos todos”, relata o neto. O pai de Satiq também teve sintomas e testou positivo para coronavírus, em segundo teste realizado, já que no primeiro havia testado negativo para o vírus. “Meu pai não teve contato com a vó nesse tempo, até então ninguém da família tinha o vírus”, explica.

Quando uma pessoa da família testou positivo, a idosa voltou a ficar em isolamento, vindo a falecer no dia seguinte. “Não tinha como ela ter pego o vírus em um dia e ter morrido. O médico que fez o atestado de óbito nos ligou e avisou que a vó tinha falecido, mas no óbito constava que era pneumonia grave com pontadas e uma possível infecção com o vírus”, conta. A Rádio Independente se baseia em dados oficiais do Governo do Estado para divulgação de informações a respeito de casos e óbitos por coronavírus.

Nota da prefeitura:

NOTA DE ESCLARECIMENTO – ÓBITO DE PACIENTE COM COVID-19

Sobre o óbito de uma mulher de 83 anos com Covid-19, ocorrido no início da noite de sexta-feira, dia 26 de julho:

1. A Prefeitura de Teutônia e o Comitê de Atenção e Enfrentamento ao novo Coronavírus, em primeiro lugar, lamentam e se solidarizam com a família neste momento de dor, de perda de um ente querido;

2. A paciente, que tem histórico de hipertensão, estava internada no Hospital Ouro Branco com pneumonia. Por ter familiares confirmados com novo coronavírus (Covid-19), seguindo os protocolos do Ministério da Saúde, no dia 25 de junho foi realizada a coleta de material para o exame PCR, processado pelo Laboratório Central (Lacen) de Porto Alegre;

3. O resultado do exame PCR (considerado padrão-ouro no diagnóstico de Covid-19 pelos órgãos de saúde), que confirmou que a paciente estava com Covid-19, somente veio para o Município no início da tarde de sábado, dia 27, um dia após o óbito da paciente;

4. A certidão de óbito publicada em redes sociais no final de semana não consta Covid-19 como causa da morte, pois ainda não se tinha o resultado do exame PCR. No entanto, já se suspeitava que a paciente estava com Covid, o que foi confirmado pelo exame PCR;

5. A divulgação do óbito da paciente no boletim epidemiológico de sábado, partiu de orientação do Estado, que contabilizou o mesmo no painel oficial neste domingo, dia 28;

6. Foram seguidos os protocolos pré-estabelecidos pelo Ministério da Saúde. E diante da altíssima taxa de confiabilidade do exame PCR e conforme o Lacen, é correto afirmar que a paciente faleceu com Covid-19;

7. Também cabe esclarecer que a definição dos valores destinados pelo Ministério da Saúde para ações de enfrentamento à pandemia não toma como base o número de pacientes infectados ou mortos. Portanto, tanto Município quanto Hospital não recebem recursos em cima de óbitos de pessoas com Covid-19.

Teutônia, 29 de junho de 2020
Prefeitura de Teutônia
Comitê Municipal de Atenção e Enfrentamento ao novo Coronavírus

Texto: Gabriela Hautrive
producao@independente.com.br

 

1 comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui