“Nós não teremos uma grande reformulação neste momento”, afirma Marcelo Caumo sobre o secretariado

Prefeito de Lajeado deve anunciar os nomes de sua segunda gestão nesta terça-feira.


0
Marcelo Caumo deve dar prioridade aos técnicos para os cargos (Foto: Rodrigo Gallas)

O prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo, reeleito nas eleições de 15 de novembro, deve anunciar os secretários que comporão a administração municipal em seu segundo mandato em coletiva de imprensa nesta terça-feira (22), oportunidade em que também fará uma retrospectiva de sua gestão. Em entrevista à Rádio Independente nesta segunda-feira (21), Caumo não quis adiantar nomes, mas afirmou que boa parte de seus auxiliares na Prefeitura de Lajeado deve continuar.


ouça a entrevista

 


O progressista também destacou que dará prioridade a técnicos para cada área, em detrimento de filiação partidária. Ele distingue os prefeitos eleitos dos reeleitos na antecipação dos titulares das pastas. “Quem é reeleito tem uma tranquilidade maior, não precisa agir de forma tão imediata para anunciar os nomes”, pondera.

Atualmente, Lajeado tem 11 secretarias e mais o cargo de procurador-geral do município. Conforme informações de bastidores, devem permanecer ao menos os secretários da Fazenda (Guilherme Cé), Desenvolvimento Econômico, Turismo e Agricultura (André Bücker), Planejamento e Urbanismo (Giancarlo Bervian), Saúde (Cláudio Klein) e Segurança Pública (Paulo Locatelli).

“Nós não teremos uma grande reformulação neste momento”, Caumo comenta. Para ele, um dos grandes acertos de seus quatro anos como prefeito foi ter técnicos no seu secretariado. “Acreditamos que este seja um dos acertos desse governo, e refletiu também na votação que a gente teve”, percebe.

Sobre eventuais mudanças, o prefeito diz que “ao longo dos 4 anos, a gente foi fazendo as alterações naturais no secretariado”, sobre seu estilo de gestão. E quem saiu, analisa, teve uma valorização expressiva em seu currículo ao participar da administração municipal.

Para o seu segundo mandato, Marcelo Caumo dará uma atenção especial às áreas de saúde, assistência social e educação. Conforme ele, elas são correlatas e sofreram grande interferência em função da pandemia de coronavírus.

“2020 foi um ano repleto de desafios, todos fomos surpreendidos ainda em março. A gente teve dois meses e meio de atividades normais e, a partir de março, a cada semana um desafio novo”, analisa o prefeito, em função da Covid-19. Ele projeta um primeiro semestre desafiador, com avanços importantes a partir da vacinação. “Enquanto grande parte da população não estiver vacinada, seguem todos esses cuidados e preocupações”, destaca.

“Apesar da dificuldade, a grande maioria das empresas e pessoas conseguem tirar bons frutos do ano de 2020”, observa o prefeito, sobre uma revisão de processos de vida.

Na questão financeira, Caumo diz que 2020 foi um ano de aporte e aplicação de recursos além do normal por parte da União nos municípios. “A projeção que se faz é que o ano de 2021 não vai ter isso”, espera. Por isso, defende que a prefeitura tenha um saldo em caixa, “uma gordura”, “porque os recursos provenientes de impostos vão ser menores”.

O administrador ressalta que a realidade financeira de Lajeado é positiva. O município, inclusive, defende o fim da majoração do ICMS na Assembleia Legislativa do RS. Conforme Caumo, haverá perda de arrecadação, porém, o município ganhará em competitividade e volume de negócios.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui