Quem está por trás do ciberataque global? Uma nova teoria aponta para a Coreia do Norte, mas o que se sabe até agora não é nem um pouco conclusivo.

Você pode nunca ter ouvido falar do Grupo Lazarus, mas provavelmente conhece seu trabalho. O enorme vazamento de dados do estúdio Sony Pictures em 2014 e outro envolvendo um banco de Bangladesh em 2016 foram atribuídos a ele. Acredita-se que o grupo atue a partir da China, mas sob o comando de norte-coreanos.


 Ouça o quadro


Especialistas em segurança estão estabelecendo com cautela ligações entre o Lazarus e o recente ataque que afetou milhares de computadores em mais de 150 países, após uma descoberta feita pelo pesquisador do Google Neel Mehta.

Ele identificou semelhanças entre o código do vírus WannaCry, usado no ataque, e outros tipos de software que teriam sido criados pelo Lazarus no passado. É uma evidência pequena, mas há outras pistas que seguem na mesma direção.

Alan Woodward, especialista em segurança, destaca que os registros de horários no código original do WannaCry estão ajustados de acordo com o fuso horário chinês.

Uma vez dentro do computador da vítima, o vírus assume o controle sobre seus arquivos, bloqueando o acesso, e exige US$ 300 (R$ 937) para devolver o comando ao usuário.

Este pedido deste resgate está quase inteiramente em inglês, mas o texto parece ter sido traduzido por uma máquina. E há um pequeno trecho em chinês, aparentemente escrito por um nativo do idioma.

“Como se pode ver, é tudo bem frágil e circunstancial”, diz Woodward. “No entanto, vale averiguar mais.”

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui