Número de protestos no mundo mais do que triplicou em 15 anos, diz estudo

Movimentos recentes também estão entre os maiores já registrados, inclusive no Brasil


0
Foto: Pexels / Reprodução

O número de protestos ao redor do mundo mais do que triplicou nos últimos 15 anos, segundo o estudo “Protestos Mundiais – Um estudo das principais questões de protesto no século 21”, divulgado nesta quinta-feira (4).

Além disso, alguns dos movimentos recentes estão entre os maiores já registrados – e as manifestações contra o presidente Jair Bolsonaro, no Brasil, aparecem ao lado de marchas do Black Lives Matter, nos Estados Unidos, e ações de fazendeiros indianos, em 2020, como exemplos citados pelos autores Isabel Ortiz, Sara Burke, Mohamed Berrada e Hernán Saenz Cortés.

Os autores analisaram mais de 900 movimentos ou episódios, entre os anos de 2006 e 2020, em 101 países e territórios, pesquisando meios de comunicação em sete idiomas diferentes.

No primeiro ano estudado, foram apenas 73 ocorrências, contra 251 no último. Comparando números, eles chegaram à conclusão de que o período histórico atual se assemelha a temporadas próximas a anos famosos como 1848, 1917 e 1968, “Quando um grande número de pessoas se rebelou contra o modo como as coisas eram, exigindo mudanças”, justificam.

E a principal demanda pode ser resumida ao que chamam de fracasso da democracia, que responde por 54% dos protestos, causados por uma percepção de que o sistema político vigente ou sua representação não cumpriam seu papel.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui