O ataque de hackers a maior oleoduto dos EUA que fez governo declarar estado de emergência

Um grupo de hackers desconectou completamente um oleoduto e roubou mais de 100 GB de informações


1
O ataque cibernético afetou uma das maiores redes de oleodutos dos EUA (Foto: Colonial Pipeline via BBC)

O governo dos EUA declarou estado de emergência em algumas regiões do país no domingo (09/05) depois que a maior rede de gasodutos do país sofreu um ataque cibernético na noite de sexta-feira, paralisando o fluxo de combustível.

Um grupo de hackers desconectou completamente a rede e roubou mais de 100 GB de informações do oleoduto da empresa Colonial. O duto transporta mais de 2,5 milhões de barris de óleo por dia, o que corresponde a 45% do abastecimento de diesel, gasolina e querosene de aviação da costa leste dos EUA.

Analistas do mercado de petróleo dizem que, como consequência, os preços dos combustíveis devem subir entre 2% e 3% nesta segunda-feira. Mas o impacto será ainda pior se o “apagão” do oleoduto continuar por muito mais tempo.

Os EUA trabalharam na noite de domingo para restaurar o serviço, mas devido às constantes falhas nas linhas principais, o governo decidiu decretar o estado de emergência para facilitar o transporte de combustível por outros meios, principalmente rodoviários.

“Esta emergência é uma resposta ao fechamento inesperado do sistema de dutos da Colonial devido a problemas de rede que afetam o fornecimento de gasolina, diesel, querosene de aviação e outros produtos petrolíferos refinados nos Estados afetados”, disse o Departamento de Transportes, em nota oficial.

O estado de emergência abrange 17 Estados do país e suspende as restrições de horário para o transporte rodoviário de combustíveis.

O que se sabe sobre o ataque cibernético?

Várias fontes confirmaram que o ataque cibernético foi causado por um grupo de hackers chamado DarkSide, que se infiltrou na rede da Colonial na quinta-feira.

“Pouco depois de tomar conhecimento do ataque, a Colonial desligou de forma proativa certos sistemas para conter a ameaça. Essas ações interromperam temporariamente todas as operações do oleoduto e afetaram alguns de nossos sistemas de tecnologia, que estamos ativamente em processo de restaurar”, disse a empresa.

A empresa de energia disse em um comunicado que está trabalhando com as autoridades policiais, especialistas em segurança cibernética e o Departamento de Energia para restaurar o serviço.

No comunicado, a Colonial especifica que embora as suas quatro linhas principais permaneçam fora de serviço, algumas linhas laterais menores entre os terminais e os pontos de entrega já estão funcionando.

“Estamos em processo de restauração do serviço para outras laterais e colocaremos todo o nosso sistema online novamente somente quando julgarmos seguro fazê-lo e em total conformidade com a aprovação de todas as regulamentações federais”, esclareceu.

O analista independente de mercado Gaurav Sharma disse à BBC que, como resultado do ataque, agora há muito combustível encalhado nas refinarias do Texas. Com o estado de emergência, os produtos petrolíferos poderão ser enviados por caminhões-pipa para Nova York, mas ainda assim isso não ficaria abaixo da capacidade do oleoduto.

“A menos que eles resolvam tudo até terça-feira, eles estarão com um grande problema”, diz Sharma.

“As primeiras áreas a serem afetadas serão Atlanta e Tennessee, e depois o efeito cascata chegará a Nova York”, disse ele.

O ataque cibernético ocorre em um momento em que as reservas dos EUA estão diminuindo e a demanda, especialmente por combustíveis para veículos, está aumentando. Os consumidores estão voltando às estradas na medida em que a economia dos EUA tenta se recuperar dos efeitos da pandemia.

Como o ataque aconteceu?

De acordo com a Digital Shadows, uma empresa de segurança cibernética com sede em Londres que rastreia criminosos cibernéticos globais, o ataque ocorreu porque os hackers encontraram uma maneira de penetrar no sistema se aproveitando do grande número de engenheiros que acessam remotamente os sistemas de controle do oleoduto.

James Chappell, cofundador e diretor de inovação da Digital Shadows, acredita que a DarkSide obteve detalhes de login de programas de acesso remoto, como TeamViewer e Microsoft Remote Desktop.

Fonte: G1

1 comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui