O Brasil e a invenção do rodízio de comidas

A proposta de cobrar do freguês um terço do valor de uma pizza para que comesse à vontade quantas fatias conseguisse aguentar fez sucesso


0
Foto: Ilustrativa

Rodízio no dicionário significa: em certos restaurantes, sistema em que os clientes pagam um preço fixo, podendo comer à vontade as diversas especialidades disponíveis

A história dos rodízios

Sua história começa em Jacupiranga/SP. Nos anos 60, o gaúcho Albino Ongaratto tinha uma churrascaria não muito movimentada na BR-116, onde o seu negócio seguia sem problemas e o churrasco era vendido principalmente aos viajantes que passavam pela estrada. Em 63, uma festa religiosa de São Paulo reuniu milhares de fiéis à churrascaria do Ongaratto.

O movimento foi tão grande que as carnes começaram a ser trocadas, pois não estavam acostumados com aquele ritmo frenético de pedidos. Foi aí que Albino teve uma ideia: passou a enviar a todas as mesas as carnes que estavam saindo da churrasqueira, resolvendo a confusão e agradando os clientes com a novidade.

 Após o acontecimento, moldou-se um novo sistema nas churrascarias, agora pagando apenas o valor fixo para poder se deliciar com todas as carnes da casa. Foi uma solução inteligente e simples, que mudou o rumo do churrasco no Brasil.

Medico e gourmet Marcos Frank fala sobre culinária nas sextas-feira no quadro “Direto Ao Ponto” (Foto: Divulgação)

Desde 1889, o Dia da Pizza é celebrado na Itália em 10 de julho, data em que o rei Umberto I e a rainha Margherita (daí o nome do sabor) experimentaram o prato. Em 1985, esse dia se tornou oficial em São Paulo.

Na cidade, a receita começou a ser montada em escala industrial a partir de 1976, quando o empresário Sérgio Della Crocci abriu seu primeiro rodízio no Pari, no centro. A proposta de cobrar do freguês um terço do valor de uma pizza para que comesse à vontade quantas fatias conseguisse aguentar fez sucesso.

No início pareceu estranho que se cobrasse 1/3 do valor de uma pizza para que o cliente saboreasse quantas fatias pudesse aguentar, mas em pouco tempo a cidade estaria rendida a essa mania .

Dois anos depois, o Grupo Sérgio, como o negócio foi batizado, inaugurava sua quinta filial, em Pinheiros. Por semana, 15 mil clientes formavam fila em frente às casas, consumindo 3,5 toneladas de massa e 25 toneladas de mussarela em cada uma das unidades. Após o furor inicial, no entanto, a rede perdeu público, apostou em bufês, mas não sobreviveu ao fim dos anos 90.

Sashimi, guioza, missô, wasabi…alguns pratos e ingredientes tipicamente japoneses são bem populares no Brasil. Mas nem sempre foi assim. A comida japonesa, considerada por muito tempo diferente e minimalista por aqui, só ganhou o coração e o paladar dos brasileiros na década de 1990, com a invenção do rodízio. Mais precisamente com o restaurante Ayoama, de São Paulo, inaugurado em 1997 pela família Nagai, que foi o pioneiro em oferecer sushi e pratos orientais em rodízio.

Texto por Marcos Frank, médico e gourmet

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui