O desafio de retornar ao trabalho após a licença maternidade

Segundo a pedagoga Mariana Munhoz Scherer, no retorno ao trabalho é importante mostrar aos colegas que sua vida está diferente.


0
Mariana Munhoz Scherer com a apresentadora Aline Silva (Foto: Rodrigo Gallas)

No programa Papos de Mulher deste sábado (11) conversamos com a pedagoga e especialista em gestão de pessoas Mariana Munhoz Scherer. Ela falou sobre o retorno das mães ao trabalho após a licença maternidade.

A pedagoga está trabalhando o assunto em seu Trabalho de Conclusão Curso (TCC) na especialização em Psicologia Organizacional do Trabalho, na Univates. “É um projeto de vivência própria”, explica. Reflexões que Mariana viveu estão sendo abordadas no trabalho afim de dar mais visibilidade ao tema, “que é pouco falado entre as mulheres.”

Previsto por lei, o benefício da licença-maternidade permite às mamães um período de ausência remunerada do trabalho, para se recuperar com tranquilidade do parto e poder passar um tempo com o seu bebê que acabou de chegar. Contudo, ela não dura para sempre e, quando chega ao fim, a volta da licença maternidade pode se mostrar mais complicada e dolorosa do que o previsto.

Segundo Mariana, no retorno, a mulher, muitas vezes, quer fazer de conta que nada mudou, “mas é importante mostrar aos colegas que, mudou sim.”

A adoção de alguns hábitos e atitudes pode amenizar essa transição, como: pensar na escolha da babá ou creche; planejar a alimentação do bebê; não transmitir insegurança à criança; ter um bom sono; aceitar as emoções do momento; utilizar a tecnologia a seu favor.

“Vamos nos conversar. Menos culpa, mais amor. Vamos viver o momento. São tudo fazes, momentos, tudo passa. Os nossos filhos são a grande dádiva e por eles e pra eles que a tente tem que passar por tudo isso da melhor forma possível”, diz Mariana, ao lembar que este processo está dentro de uma normalidade.

Veja a entrevista e o programa na íntegra

Papos de Mulher – 11/07/2020

Acompanhe AO VIVO o programa Papos de Mulher!Neste sábado conversamos com Mariana Munhoz Scherer. Ela é pedagoga, especialista em gestão de pessoas. Falaremos sobre o retorno das mães ao trabalho após a licença maternidade, e os múltiplos papéis da mulher.

Publicado por Rádio Independente em Sábado, 11 de julho de 2020

 


Papos com quem sabe

A cada sábado um assunto novo. Profissionais das mais diversas áreas trazem muito conteúdo para o Papos de Mulher.

Psicologia, nutrição, moda, meio ambiente, marketing, sustentabilidade, consumo consciente e inovação tem espaço aqui.

Hoje, Simone Schneider, diretora técnica da empresa Lógica Assessoria Ambiental Inteligente, aborda na pauta: hortas orgânicas e comunitárias.

Ouça o quadro!

Lógica Assessoria Ambiental Inteligente: Rua Duque de Caxias 812. Ligar (51) 3726-3101.


 

Estilo, por Douglas Petry

Todo sábado, o consultor Douglas Petry traz um drops de conteúdo especializado em moda, arte, decoração, estilo e bom gosto.

Nesta edição do quadro “Estilo”, Petry fala sobre o estilo confort, que vem ganhando destaque com a pandemia.

Ouça o quadro!

 


Na Cozinha: Pizza. Como surgiu? Por que o dia nacional é comemorado em 10 de julho?

com Daniel Bortolini.

Nesta sexta-feira, dia 10 de julho, foi comemorado o Dia Nacional da Pizza. E você sabe como surgiu a pizza?

A pizza que comemos hoje, redonda com molho de tomate e coberta com queijo, surgiu em Nápoles, Itália, por volta do século 18. Só que a massa em forma de disco assado em forno e com cobertura é uma criação bem mais antiga. Tudo começou há seis mil anos, com uma fina camada de massa, conhecida como “pão de Abrahão” ou “piscea”, consumida por hebreus e egípcios. Três séculos antes de Cristo, os fenícios acrescentaram cobertura de carne e cebola. A ideia foi absorvida pelos turcos e, durante as cruzadas, no século 11, o pão fino e redondo deles chegou ao porto de Nápoles. Os napolitanos aperfeiçoaram a receita com trigo de melhor qualidade e novas coberturas, como o queijo. Só mais tarde, no século 16, o tomate, vindo da América, foi incorporado à pizza. Mas a popularização mundial aconteceu mesmo com os norte-americanos ao término da segunda guerra mundial. Para se ter uma ideia, cerca de um milhão de pizzas são consumidas por dia só na cidade de São Paulo.

Falando em São Paulo, o Dia Nacional da Pizza surgiu em 1985, graças a um concurso estadual que ocorria em São Paulo para escolher as melhores pizzas de marguerita e muçarela. O sucesso foi tamanho que o secretário de turismo da época, Caio Luis de Carvalho, decidiu: o dia do encerramento seria considerado o dia da pizza em todo território brasileiro.

Nesses quase sete anos de Na Cozinha, já dei algumas receitas de pizza. E pode ter certeza, teremos outras receitas dessa delícia pela frente.

Fontes: super.abril.com.br / pizzaprime.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui