O “endeusamento” de Sérgio Moro já não existe mais faz tempo

Os esquerdistas odeiam o ex-juiz por ter condenado Lula. Os direitistas não querem mais saber de Moro, após sua briga com Bolsonaro


4
Foto: Ilustrativa

Um legado ingrato

Quando a pandemia passar, com todos vacinados e imunizados, poderemos chegar à conclusão de que ficará uma marca na área da saúde: novos leitos, respiradores e tantos outros equipamentos, que se espera, sejam utilizados para o bem das pessoas na cura de outras doenças. A grande maioria dos hospitais recebeu investimentos que ficarão para sempre. Que os governos, nas três esferas, continuem repassando para as casas de saúde recursos necessários para termos uma saúde de maior qualidade. Pode até ser um legado ingrato, à custa de milhares de vidas, mas com a esperança de um bem maior num futuro muito próximo.

Sob pressão

Para quem pouco conhece sobre os meandros da lei, decisões tomadas pelos ministros do STF nestes últimos tempos só ajudaram a fazer com a mais alta corte da Justiça brasileira perdesse credibilidade. E geram desconfiança generalizada nos seus membros. Há interesses? Não deveria, mas o ponto agravante é o fato de serem nomeados pelos presidentes da República. Na hora de julgarem, será que não vem à cabeça o sentimento de gratidão a quem os indicou. O momento crítico que estamos vivendo exige posturas firmes, sem ser autoritárias, de todas as instituições. O STF, infelizmente, não goza da simpatia da maioria da população.

Abalo

Até que ponto a já pouca credibilidade do juiz Sérgio Moro foi abalada com as últimas decisões do STF? O “endeusamento” de Moro já não existe mais faz tempo. Os esquerdistas odeiam o ex-juiz por ter condenado Lula. Os direitistas não querem mais saber de Moro, após sua briga com Bolsonaro. Sobrou pouco para ele buscar respaldo para 2022.

Curtas

  • Alem do prefeito Elmar Schneider, dois secretários do governo municipal de Estrela estão afastados. Verno Arend, do Desenvolvimento Econômico, internado na UTI em decorrência da Covid, e o secretário de Obras, por ter problemas de saúde, está afastado por se enquadrar em grupo de risco.
  • Levantamento efetuado pela Rádio Independente aponta que 15 dos 36 prefeitos do Vale do Taquari já tiveram COVID-19. Três estão em isolamento atualmente, de Encantado, Estrela e Imigrante. Dos que tiveram o vírus, somente o de Bom Retiro precisou de internação. Ficou dias na UTI de um hospital no interior do Ceará.
  • Em abril de 2018, na capa da revista Veja: “Ou Lula vai preso ou acaba a Lava Jato”. Menos de três anos depois, o STF ajuda a confirmar a manchete.
  • Um servidor municipal foi deslocado de suas funções, onde recebia até FG (função gratificada), por envolvimento em uma festa clandestina realizada recentemente na região. É de um pequeno município perto de Lajeado.
  • Reclamações têm sido constantes de moradores de vários cidades na região quanto a manutenção de estradas não pavimentadas. A desculpa tem sido o período de férias de servidores e a pandemia, que afastou outros.
  • Será um grande feito caso o governo de Eduardo Leite consiga mais 183 leitos de UTI SUS, como prometido nesta semana. A ampliação dessa estrutura chegará a 157% no RS.
  • Vamos dormir mal e acordamos pior ainda com estas notícias sobre a Covid. E, por incrível que pareça, temos que nos dar por satisfeitos de poder acordar e agradecer.

4 Comentários

  1. De qualquer maneira, Moro e a Lava Jato fizeram mais para combater a corrupção do que qualquer um em décadas. Mas enxugaram gelo, já que a corrupção está entranhada em todos os níveis. A eleição de 2022 será da escolha entre o demônio e o capeta.

  2. Sobrou pouco para respaldar Moro?
    E a turma que não topa Lula e Bolsonaro?
    Já em 2022 veremos se são a minoria.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui