O “novo rico” e sua mentalidade imbecil

Eis o clássico comportamento desse perfil: prepotente, que acha que está acima de tudo e de todos, inclusive das leis


2
Foto: Ilustrativa

Há alguns dias me deparei com a seguinte situação. Havia um automóvel rebocando um jet ski na contramão de uma rua estreita, de sentido único, causando iminente risco de acidente. Ele bloqueava toda a via, forçando outros veículos a andar em marcha ré por uma via movimentada. Quando percebi o perigo daquela situação, alertei o motorista sobre os riscos que sua manobra estava causando. E sabe qual foi a reação daquele cidadão? Perguntou se eu tinha jet ski. Respondi que não. Foi aí que a sua arrogância saltou pela sua boca, mandando eu estudar para ter um. Eis o clássico comportamento de uma pessoa com perfil do “novo rico”. Comportamento prepotente de quem acha que está acima de tudo e de todos, inclusive das leis. Comportamento de quem tem a cabeça inchada pela vaidade, que acha que pode tudo, só porque sua conta bancária está positiva (ou, às vezes, não). Comportamento de quem vive de ilusões, precisando ostentar fora um imenso vazio interior.

Exemplos assim me motivam a seguir minha jornada por um país melhor. Sabe por quê? Pois são pessoas com comportamentos desse tipo que devem ser a minoria em uma civilização próspera. São estes comportamentos que pessoas sábias não possuem.

São comportamentos como este que são o mau hálito da sociedade, pois tentam humilhar pessoas de bem, que buscam fazer o que é certo. Uma coisa não tem absolutamente nada a ver com a outra. O jet ski rebocado por aquele cidadão não tem nenhuma relação com o nível intelectual de quem não tem. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

Há pessoas com pouca escolaridade mas com disciplina e honra, que possuem estes e outros tantos equipamentos. Outras pessoas muito esclarecidas não fazem a mínima questão de tê-los. Enquanto houverem imbecis achando que estão com a razão, mesmo estando errados, se vangloriando das aparências como forma de expressar seu ego inflado, mesmo em situações em que não possuem a mínima razão, o país seguirá sofrendo com a cultura daqueles que acham que são mais do que outros em função do seu status.

Espero que este texto sirva de reflexão e de inspiração para que possamos construir, aqui, um país melhor para os nossos filhos e nossos netos. Pense nisso. Forte abraço, Feliz Natal e até a vitória, sempre.

Gustavo Bozetti (@gustavobozetti), diretor da Fundação Napoleon Hill e MasterMind RS

2 Comentários

  1. Educação vem de casa e o livre arbítrio nos permite melhoras no convívio social e com boas leituras. Nunca é tarde pra se melhorar. A resenha relata uma pessoa que precisa se tratar pé reaprender ou aprwnder a viver em sociedade. Posição social nada tem a ver com educação,nem bens materiais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui