O que sua casa representa para você?

"A pandemia fez com que voltássemos nossos olhares para nós mesmos e para os lugares que habitamos". Confira o comentário da jornalista e psicóloga Tamara Bischoff


0
Tamara Bischoff, jornalista e psicóloga (Foto: Rodrigo Gallas)

A pandemia fez com que voltássemos nossos olhares para nós mesmos e para os lugares que habitamos. Para muitas pessoas, está difícil até mesmo de retornar às atividades presenciais de trabalho e estudos, uma vez que abandonar o home office pressupõe deixar o aconchego e a estabilidade para se lançar novamente ao mundo e seus perigos.

Quando falamos sobre casa, diferentes sensações nos ocorrem, e as mais universais costumam ser privacidade, segurança, conforto, lar e família. A casa é aquele lugar para onde a gente não vê a hora de voltar quando está mal. Nesses momentos, só queremos correr para o sofá ou a cama. Ali, parte de nossas dores cessam, pois estamos protegidos.

 

Mas por que nos sentimos assim? Talvez porque a casa seja mesmo um ninho, o lugar onde começamos a experimentar a vida, e onde podemos ser quem somos. Para o filósofo Gaston Bachelard, a casa é um grande berço, uma concha refúgio, o primeiro abrigo. Assim, as coisas que se passam dentro de uma casa são, na primeira infância, também uma representação do mundo.

Algumas teorias colocam a casa como símbolo do útero materno, espaço onde estivemos mais confortáveis e seguros. No ventre, não precisávamos nos esforçar para respirar, a temperatura era sempre a mesma, nenhuma luz era forte demais, o alimento, em geral, vinha de maneira fácil.

E vai dizer que não é uma sensação parecida a que buscamos em nosso lar? Estamos sempre tentando diminuir ao máximo o desprazer, deixar nosso cantinho o mais acolhedor possível, e com a nossa cara, o que quer dizer, compatível com as nossas necessidades e com os nossos desejos.

Hoje, com toda a tecnologia disponível, é possível que uma obra se aproxime bastante disso: as paredes são reforçadas com isolamento térmico e acústico, o piso é aquecido, a iluminação pode ser indireta e com diferentes graduações, a cartela de cores é capaz de exprimir as diversas sensações e os móveis e a decoração entram com o toque final, influenciando até mesmo no clima do local.

O que acontece, muitas vezes, é que com tanta opção, fica mais difícil escolher. Possivelmente, porque fantasiamos que alcançaremos a obra perfeita, e com ela, nossos desejos estarão completamente satisfeitos.

O poeta irlandês George Morre assim falou: “Um homem percorre o mundo inteiro em busca daquilo que precisa e volta a casa para encontrá-lo”.

Envie sua sugestão de tema para o quadro pelas redes sociais, no Instagram, no @tamara.terapia, e no Facebook, na página Psicóloga Tamara Bischoff.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui