Ofensiva contra lavagem de dinheiro prende três, bloqueia contas bancárias e confisca bens em quatro municípios do Vale do Taquari

Operação “Crime S.A.” ainda apreendeu carros, casas, apartamentos e bloqueou 29 contas bancárias


0
Delegado responsável pela operação, Márcio Moreno e delegada regional Shana Luft Hartz (Foto: Luís Fernando Wagner)

Ofensiva visando a descapitalização das organizações criminosas atuantes em Lajeado e região, foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (5) pela Delegacia de Polícia Civil. A operação, denominada “Crime S.A.”, contra a lavagem de dinheiro, contou com a participação de 110 agentes da Polícia Civil, com apoio da Brigada Militar e da Secretaria Municipal de Segurança Pública de Lajeado.

Os 27 mandados de busca e apreensão e 68 ordens judiciais começaram a ser cumpridos por volta das 6h, em quatro municípios da região: Lajeado, Estrela, Santa Clara do Sul e Imigrante. “Tivemos um resultado de descapitalização do crime organizado muito positivo. Quando a Polícia consegue atingir os mais altos graus hierárquicos das organizações criminosas, a gente acaba contribuindo bastante para a diminuição daqueles crimes que mais preocupam a sociedade”, avalia o delegado titular da Delegacia de Polícia Civil de Lajeado, que comandou a operação, Márcio Moreno.

Na ação, foram apreendidos sete imóveis entre apartamentos e casas, situados nos municípios alvo da operação. “Um dos imóveis, com maior valor agregado é um apartamento em Lajeado, avaliado em R$ 800 mil”, frisa Moreno. Também foram sequestrados nove veículos, entre eles um modelo BMW, avaliado em, aproximadamente, R$ 300 mil. Os bens, móveis e imóveis sequestrados somam o valor conjunto de mais de R$ 2,5 milhões.

Além disso, as autoridades bloquearam 29 contas bancárias com dinheiro. “Ainda temos que fazer a somatória destas contas, que estão em nome de diversas pessoas e em diversos estados (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Ceará, Rio de Janeiro e São Paulo) ”, revela o delegado. A suspeita é de que o grupo tenha movimentado mais de R$ 4 milhões nos últimos três anos.

Três suspeitos detidos

Além das apreensões de bens oriundos de atividades ilícitas, três suspeitos foram presos na operação. Dois homens e uma mulher, todos residentes em Lajeado, foram levados à Delegacia de Polícia. “São investigados que possuem antecedentes criminais por roubo, tráfico de drogas, receptação e homicídio. O homicídio não é aquele passional, por exemplo, mas sim, aquele homicídio mercenário, praticado pela manutenção do poder econômico ilícito. Agora vamos fazer os links destes crimes que geraram o capital apreendido”, explica o delegado Márcio Moreno.

Apreensões podem render investimentos na segurança pública na região

De acordo com o delgado Márcio Moreno, o capital apreendido na operação “Crime S/A” poderá ser revertido em benfeitorias nos municípios onde foram recolhidos. “Conforme a lei permite, nos casos de crimes como este, de lavagem de dinheiro, o capital sequestrado, se os responsáveis forem condenados, poderão ser usados na forma de investimentos na área da segurança pública, nos municípios onde apreendidos. Claro que existe todo um processo antes, mas esta possibilidade existe”, antecipa o delegado titular da Delegacia de Polícia Civil de Lajeado.

Luís Fernando Wagner
noticias@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui