Oito escolas do Vale do Taquari ainda não retornaram com aulas presenciais devido à falta de funcionários

De acordo com a Seduc, responsável pelo processo de contratação, retorno deve ocorrer em até 10 dias


0
Falta de profissionais como de limpeza é um dos empecilhos (Foto: Ilustrativa)

Desde a permissão para a retomada das aulas presenciais na rede estadual de educação, que ocorreu no dia 3 de maio, nove escolas do Vale do Taquari ainda não tiveram o retorno concretizado, e permanecem com as aulas no formato remoto. Destas, oito sofrem com a falta de funcionários de limpeza e alimentação nos turnos que ocorrem as aulas.

Em entrevista à Rádio Independente na terça-feira (18) da semana passada, a titular da 3ª Coordenadoria Regional de Educação (3ª CRE), Cássia Benini, tinha como previsão a retomada ainda nesta semana, com a contratação de uma empresa terceirizada para executar os trabalhos. A previsão não foi confirmada, uma vez que o processo de contratação, que é de responsabilidade da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), ainda não foi finalizado.

Na Escola Estadual de Ensino Médio (EEEM) de Forquetinha, a volta não ocorreu em função da falta de merendeira. A mesma situação ocorre em Progresso, nas Escolas Estaduais de Ensino Fundamental (EEEFs) Afonso Mathias Ferrari e Jose Pretto; e em Marques de Souza, na EEEF Frei Antônio.

Já na EEEM Guararapes, de Arroio do Meio, o não retorno se deve à falta de servente e merendeira. Em Cruzeiro do Sul, a EEEF Itaipava Ramos também há falta de uma servente. E na EEEF Demétrio Berté, de Putinga, a servente pediu exoneração.

Em Taquari, uma escola ainda depende de ajustes no transporte escolar, que, de acordo com a 3ª CRE, será feito até a próxima segunda-feira (31).

Conforme a Secretaria Estadual de Educação (Seduc), o prazo para que ocorra a retomada é de dez dias, ou seja, 7 de junho. “Em relação ao pedido dos profissionais de servente de limpeza e merendeira para as escolas estaduais da 3ª Coordenadoria Regional de Educação (3ª CRE), a Secretaria Estadual da Educação (Seduc) informa que já encaminhou a contratação por meio de uma empresa terceirizada e a solicitação será atendida em até dez dias.”

Entenda a falta de funcionários

O estado abriu o Edital nº 05/2020 para contrato emergencial, que teve prazo de inscrição no período de 28 de dezembro de 2020 a 17 de janeiro de 2021. Como geralmente ocorre nos municípios pequenos, não houve pessoas interessadas na inscrição. Com isso, a Seduc resolveu, de forma emergencial, abrir uma licitação para contratação de empresas terceirizadas. Esse contrato está se encerrando no mês de junho, visto que foi feito por tempo determinado.

Como forma de cortar gastos, devido a bandeira preta,que vigorava na época, dois contratos com empresas foram suspensos no dia 8 de abril pela Seduc. A empresa contratada para atender a demanda da alimentação conseguiu uma liminar e retornou suas atividades no dia 16 de abril, ao contrário da responsável pela limpeza, que não retornou suas atividades.

Texto: Vinicius Mallmann
regional@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui