“Olhar para Lívia e dizer que não conseguimos, não passa pela cabeça”, diz pai da menina após alta do dólar

Campanha buscava R$ 9 milhões e agora precisa de R$ 13 milhões. R$ 7,2 milhões já foram conquistados. Ações buscam a cura da AME para Lívia Teles.


0
Luana e Anderson Teles, pais de Lívia (Foto: Arquivo Pessoal)

Os reflexos da pandemia, causada pelo novo coronavírus, refletem diretamente na Campanha “todos pela Lívia”. Além dos inúmeros eventos e ações que precisaram ser cancelados ou reinventados e migrados para o meio virtual, a campanha também sofre com a alta do dólar.

O remédio, chamado de zolgensma, que a menina Lívia Teles precisa para cura da Atrofia Muscular Espinhal (AME) tipo 1, era orçado em 2,5 dólares no início da campanha, o que remetia a cerca de R$ 9 milhões. Porém, com a alta do dólar, cotado a R$ 5,55 nesta sexta-feira (22), o valor do medicamento já chega a entorno de R$ 13 milhões. Até o momento, R$ 7,2 milhões foram arrecadados.


OUÇA A REPORTAGEM


 

Conforme o pai de Lívia, Anderson Teles, apesar de novas dificuldades no meio do caminho, desistir não é uma opção. “Olhar para Lívia e dizer que não conseguimos, não passa pela nossa cabeça. Já chegamos muito longe, passamos dos R$ 7 milhões, temos a certeza que vamos chegar lá, enxergamos uma luz no final do túnel”, relata.

São muitas incertas no cenário atual, não só pela pandemia, mas também por conta do cenário político, o que afeta diretamente a economia global. Contudo, segundo Anderson, se tratando da Campanha “todos pela Lívia” não há incertezas. “São muitos voluntários, muitas pessoas trabalhando e batalhando conosco, tenho certeza que vamos conseguir. Logo, logo estaremos dando a possibilidade do tratamento para Lívia”.

Enquanto a campanha segue arrecadado valores, os pais da menina, Anderson e Luana Teles, já se movimentam em busca de orçamentos para o tratamento da filha. “Fizemos contato com alguns hospitais e iniciamos algumas negociações. Questão de medicamentos, questão de custos hospitalares e tudo mais, além do nosso período de permanência nos EUA”, conta.

A família também está encaminhando os vistos para os EUA, com o objetivo que tudo fique pronto e assim que a campanha alcançar o valor necessário, eles embarcam imediatamente em busca da tão esperada cura da AME para Lívia Teles. Médicos recomendam que a menina faça o tratamento até os 2 anos de idade, atualmente ela tem 1 ano e 7 meses, por tanto, os R$ 13 milhões precisam ser conquistados até outubro de 2020. Faltam cerca de R$ 5,8 milhões para se chegar ao objetivo final. Contribua com a rifa virtual que busca arrecadar R$ 1 milhão para o tratamento da menina. 

Texto: Gabriela Hautrive
produção@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui