OMS alerta para possível déficit de seringas em 2022

Confira as informações do programa Correspondente Independente das 18h


0
Foto: Divulgação

A Organização Mundial da Saúde (OMS) advertiu nesta terça-feira que pode haver um déficit de até 2 bilhões de seringas em 2022, caso sua produção não consiga seguir o ritmo da imunização contra a covid-19. “Estamos levantando a real preocupação de que poderemos ter uma escassez de seringas, o que, por sua vez, provocaria graves problemas, como a desaceleração dos esforços de imunização”, disse Lisa Hedman, assessora principal da OMS em matéria de acesso a medicamentos e produtos sanitários.
“Dependendo do fornecimento de vacinas, pode haver um déficit de entre um e dois bilhões” de seringas, acrescentou.

Segundo a funcionária da OMS, já estão sendo realizados esforços para tentar impedir esse cenário e ela também fez questão de solicitar aos países que aumentem suas capacidades de produção.

Segundo um levantamento feito pela AFP, mais de 7,25 bilhões de doses de vacinas ontra a covid-19 já foram administradas em todo o mundo. Isso representa quase o dobro do número de vacinas administradas por ano no planeta, e o dobro da quantidade de seringas necessárias. Para Lisa Hedman, a escassez de seringas poderia provocar um atraso nas companhas de vacinação rotineiras, o que repercutiria na saúde pública “durante anos”, caso uma geração de jovens não receba as vacinas infantis habituais.
A falta de seringas também poderia levar à reutilização desses objetos e agulhas, que deveriam ser descartáveis, o que pode trazer o risco de outras infecções, como HIV e hepatite. Fonte: Correio do Povo


OUÇA O PROGRAMA 


Assembleia do RS aprova plano de carreira do Judiciário

Os pesquisadores do Instituto Argonauta classificam como caso isolado o ataque de tubarão a um turista francês em Ubatuba, no Litoral Norte de São Paulo. De acordo com especialistas, esse foi o primeiro caso de ataque de tubarão a banhista registrado em 30 anos na cidade.

“A gente ainda não sabe a espécie nem o tamanho do animal, mas essa é a próxima investigação. Fato é que os tubarões estão na nossa região, moram no mar, mas as pessoas não precisam se preocupar porque foi uma situação atípica, isolada”, afirma a bióloga Natália Della Fina, do Instituto Argonauta.

O caso envolvendo um turista francês de 39 anos aconteceu no dia 3 de novembro na Praia do Lamberto. O homem veio para o Brasil para um casamento em São Paulo e decidiu conhecer Ubatuba em um passeio.

De acordo com a família, ele se banhava na praia quando sentiu ser mordido por um animal. Ele deixou a água e passou por atendimento no hospital, onde foi informado que a mordida se tratava de um ataque de tubarão. A vítima está bem e já retornou para França.
Inicialmente, pesquisadores do Argonauta, que monitora a vida marinha no litoral, acreditavam não se tratar de incidente envolvendo tubarão, mas confirmaram o caso após receberem novas evidências. De acordo com os especialistas, a cidade tem tubarões, mas não havia registro de avistamento próximo às praias ou ataque em humanos.
“Em 30 anos foi o primeiro registro com banhista. A gente até teve casos envolvendo pescadores que estão em contato com eles mais em alto mar, caso de uma menina que estava pescando com o pai, mas nada que precise se preocupar”, explicou.
A bióloga explica que no dia do acidente a água estava turva, o que pode ter confundido o animal, que soltou rapidamente a vítima. O homem teve cortes na parte superior e inferior da perna.

Assembleia do RS aprova plano de carreira do Judiciário

Os deputados estaduais aprovaram, nesta terça-feira, por 53 votos favoráveis, o plano de carreira do Judiciário. O projeto foi motivo de confusão em plenário na última sessão, no final de outubro, em função de uma emenda apresentada pelo deputado Mateus Wesp (PSDB). Hoje, a proposta voltou ao plenário, porém, com uma nova emenda do deputado tucano, que reduziu o percentual de progressão anual dos servidores para 20%, ao invés do teto de 50%, como na primeira.

Dessa forma, com a nova redação, está mantida a isonomia entre servidores do Judiciário – ideia estabelecida no projeto original – e outros órgãos que exercem funções essenciais à justiça. A emenda foi aprovada por 34 votos sim e 16 contrários. Assim como na última sessão, dezenas de servidores ocuparam as galerias, se manifestando a cada fala de deputado sobre o projeto. Além disso, os servidores gritavam “sem emendas”.
Na tribuna, o deputado Eric Lins (Dem), remetendo ao ocorrido na última sessão reiterou que os servidores “nunca foram adversários”, apontando a aprovação da emenda como a “vitória de um direito inerente aos trabalhadores”. O deputado Jeferson Fernandes (PT), que participou das intermediações, parabenizou os servidores pela construção do projeto. Sua manifestação foi aplaudida pelas galerias, que estavam cheias.

Segundo Sofia Cavedon (PT), é fundamental o plano de carreira para a valorização da profissão. “Uma vitória dessas é extraordinária de uma categoria”. “Os governos acham que decidem a vida dos servidores dentro de quatro paredes”, comentou ela, sobre a pressão dos servidores nas negociações.

Para o presidente da Associação dos Servidores da Justiça do RS (ASJ), Paulo Olympio, a emenda trouxe algumas restrições, mas representou um avanço obtido pela categoria em relação ao ajuste proposto na sessão anterior. A aprovação do projeto, segundo Olympio, consagra a qualificação dos funcionários da Justiça, mesmo com as dificuldades enfrentadas.

Projetos do Executivo foram aprovados

Logo no início da sessão, os deputados mantiveram um veto total do governador Eduardo Leite (PSDB) e aprovaram os 11 projetos do Executivo que trancavam a pauta de votações. A primeira matéria deliberada foi o veto do Executivo ao projeto do deputado Issur Koch (PP), que dispõe sobre a inserção da atividade de Biomedicina no quadro de servidores do RS. O veto foi mantido por 43 votos a 2.

Com 47 votos favoráveis e 1 contrário, foi aprovado o projeto que altera o Programa de Incentivo ao Acesso Asfáltico do RS – PIAA / RS. Entre as demais propostas estavam sete que autorizavam o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem a transferir segmentos de rodovias a municípios ou mudanças em trechos já transferidos. onte: G1

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui