OMS: mundo terá de esperar até 2022 para imunização ampla da sociedade

Agência diz que segurança não será comprometida na busca por uma vacina. Pessoas terão de "manter disciplina" até que vacina chegue ao mercado.


0
Pesquisador russo mostra a vacina desenvolvida no Instituto Gamaleya (Imagem: Reuters)

Uma imunização ampla das populações do mundo contra a covid-19 e uma mudança no impacto da doença levarão até 2022 para ocorrer. O alerta foi feito pela OMS na manhã desta quarta-feira, num recado claro para que autoridades e populações continuem a adotar medidas de precaução e distanciamento social.

Nesta terça-feira, a farmacêutica AstraZeneca suspendeu os testes de estágio final de sua candidata a vacina contra a covid-19 após uma suspeita de “reação adversa séria” em um participante do estudo. A vacina, que é desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford, é testada no Brasil e em outros países.

Soumya Swaminathan, cientista-chefe da OMS, insistiu já na semana passada que “nenhuma vacina será distribuída antes que reguladores, governos e a OMS estejam seguras de que o produto atingiu os padrões mínimos de eficácia e segurança”.

Agora, seu recado foi para alertar sobre a dificuldade que será para que o produto atinja uma proporção maior da população e gere uma imunidade de rebanho. “Muitos acham que a vacina é a bala de prata, que vai chegar no dia 1 de janeiro e que vai, basicamente, resolver os problemas do mundo”, disse a cientista. “Não vai ocorrer assim”, declarou.

Segundo ela, os primeiros resultados dos testes clínicos devem estar prontos entre o final do ano e o início de 2021. Mas, depois disso, há ainda o período de avaliação e licenciamento, seguido ainda pela produção e distribuição. “Estamos olhando para meados de 2021 como um cenário otimista para a chegada de doses limitadas para os países”, disse Soumya.

De acordo com ela, essas primeiras doses devem ir para os profissionais de saúde, seguido por idosos e doentes crônicos. Só então haverá uma ampliação do processo. “Lentamente, você vai cobrindo o resto da população e isso vai levar um par de anos”, disse.

Até la, a representante da OMS insiste que o mundo vai precisar de medidas de precaução e de saúde que mostraram trazer resultados.

“É importante que as pessoas saibam que, quando a vacina chegar, vai levar tempo até que a produção seja ampliada até que todos ou pelo menos 60% ou 70% da população consigam a imunidade da qual falamos, a imunidade de rebanho, que realmente pode desacelerar a transmissão”, explicou a cientista-chefe da OMS.

“Não estamos estamos falando em erradicar o vírus. Mas reduzir o impacto que hoje tem na sociedade e nas vidas”, insistiu Soumya. “Isso vai levar certamente até 2022 para ver essa mudança ocorrer. Até la, as pessoas precisam ser disciplinadas. Essa é a única solução”, completou.

Fonte: UOL

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui