Operação desarticula organização criminosa especializada em furtos de tratores

Lajeado está entre os municípios onde foram cumpridos mandados


0
Foto: Polícia Civil

Na manhã de terça-feira (31) a Polícia Civil deflagrou a 3ª fase da “Operação Mahindra” desarticulando uma organização criminosa que se especializou no furto de tratores no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Com a conclusão do inquérito policial, foi representado pelas prisões preventivas dos dez integrantes da quadrilha e por mandados de busca em 13 residências nas cidades de Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Flores da Cunha, Cotiporã, Cidreira e Lajeado.

Foi comprovado que o líder do grupo já havia sido indiciado pela prática criminosa através de uso de WhatsApp. Por este motivo a Delegacia de Polícia Especializada na Repressão aos Crimes Rurais e Abigeato (Decrab) de Camaquã representou pela transferência deste preso do Presídio Regional de Caxias do Sul, na intenção de que não tivesse acesso a internet e que não desse continuidade aos golpes.

Foram presos o líder da quadrilha, um dos integrantes e o receptador, estando os demais investigados em situação de foragidos.

O inquérito policial foi concluído e remetido ao Poder Judiciário, onde os dez integrantes da organização criminosa foram denunciados. A ação contou com o apoio de quatro delegacias regionais da Polícia Civil, entre elas, a 19ª, com sede em Lajeado.

As investigações

As investigações iniciaram em 12 de abril de 2021, quando uma vítima da cidade de Sertão Santana registrou ocorrência relatando que havia caído em um golpe. Segundo o relato da vítima, ela ofereceu no site OLX seu trator, recebendo mensagens via WhatsApp de uma pessoa interessada em comprar o maquinário. Este suposto comprador efetuou um depósito na conta da vítima e mandou um guincho buscar o veículo, porém na segunda-feira a vítima constatou que o depósito era um envelope vazio.

A Decrab de Camaquã constatou a forma de atuação da quadrilha. O contato ocorria via WhatsApp. O golpe era normalmente concluído em uma sexta-feira, quando era efetuado o depósito na conta da vítima, através de um envelope vazio, tomando a precaução de fazer este depósito após o término do horário bancário, o que impediria que a vítima averiguasse se realmente o valor acertado, havia sido depositado.

Posteriormente o líder contratava um guincheiro para realizar o transporte, normalmente com destino para Caxias do Sul e Farroupilha, porém antes de chegar ao destino recebia novas orientações para entregar o trator em outro local. A Decrab constatou que os guincheiros eram contratados aleatoriamente e que não faziam parte da quadrilha.

A esposa do líder também tinha forte atuação na organização, pois repassava as ordens aos demais, retransmitindo mensagens de áudio, onde ameaças eram feitas com relação a dívidas.

O braço direito era quem recebia o trator e tinha a função de repassar o maquinário para outro integrante, este encarregado de vender o mais rápido possível, normalmente por valor abaixo de mercado. Para não deixar rastros, após a venda do trator, o dinheiro era depositado em várias contas de terceiros.

Durante as investigações a polícia conseguiu rastrear e recuperar dois tratores negociados pela quadrilha. O maquinário estava no interior do município de Nova Bassano. Foram identificados todos os integrantes da quadrilha, as transações bancárias, bem como a movimentação de 14 tratores entre janeiro e junho de 2021. MS

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui