Paciente morre e irmão critica atendimento da UPA em Lajeado

Flávio Kunz alega negligência no atendimento a paciente.


5
Flávio Kunz (Foto: Joel Alves)

O lajeadense Flávio Kunz enfrenta uma situação delicada. Sua irmã, Norma Seli, enfrentava problemas de saúde e esteve internada, por cerca de 30 dias, na Unidade de Pronto Atendimento de Lajeado acabou falecendo.


OUÇA A REPORTAGEM


Kunz alega negligência no atendimento a paciente. “Em nenhum momento foi solicitado exames”, afirma. Segundo ele, Norma permaneceu internada na unidade e não apresentou melhora. Mesmo não apresentando melhoras, na última quinta-feira (23), ela recebeu alta.

“A UPA não é para internamento”, defende Flávio.“Se eles não conseguem resolver o problema encaminhem o paciente para o hospital. Porque o médico da não encaminhou minha irmã para realizar uma cirurgia no Hospital Bruno Born?”, questiona.

Na noite de ontem, segunda-feira (27), Norma recebeu atendimento médico do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). De acordo com os médicos que prestaram atendimento, Norma necessitava de uma cirurgia de urgência.

Norma Seli, de 70 anos, moradora do Bairro Santo André, teve uma parada cardíaca enquanto aguardava para ser transferida ao Hospital Bruno Born. JA/JS

5 Comentários

  1. Totalmente desnecessário o comentário que “desfile de modas” na UPA, desnecessário. Não importa a idade do médico, é profissionalismo, e quando dependemos do SUS é assim a mais de 30 anos, a saúde está em decadência, governos anteriores investiram em estádios de futebol e a saúde ficou em segundo plano, agora está aparecendo os resultados. Entendo a indignação do senhor, mas culpar médicos que precisam de autorização TB para tudo? Dizer q apenas receitam paracetamol? Em um estágio de loucura com o covid-19? Daí querer que abandonem os casos de infecção por corona vírus agora? É sem fundamento, ele deveria ter feito esse apelo enquanto ela estava internada na UPA e não depois que faleceu, agora adianta?

  2. que triste ,, quem cuida de gente precisa gostar de gente , senão não e olhado com devido cuidado e amor.Sentimentos a familia.

  3. Se não era covid não tão nem aí.. só isso que importa pra eles no momento. As outras doenças que se …

  4. O familiar deveria postar o prontuário médico pra mostrar se foi isto mesmo. Se foi foi ele pode processar. Agora a pergunta, por qual motivo não procurou um advogado se a irmã foi tão mal atendida. Se fosse minha irmã, reuniria provas e buscaria responsabilização ao invés de ficar reclamando em redes sociais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui