Pacientes de Rondônia com Covid-19 chegam a Porto Alegre

Quatro pacientes foram encaminhados para o Hospital de Clínicas de Porto Alegre e outros cinco para o Hospital Conceição.


1
Foto: Mauro Schaefer / Divulgação

O Rio Grande do Sul recebeu, na madrugada desta quarta-feira, nove pacientes com Covid-19 de Porto Velho, capital de Rondônia. Eles desembarcaram no Aeroporto Internacional de Porto Alegre à 1h52, depois de voarem em um avião C-105 da Força Aérea Brasileira (FAB), que partiu às 18 horas de terça-feira, no horário local, 19 horas no fuso horário do RS. Na pista do terminal, nove ambulâncias aguardavam os rondonienses para encaminhá-los aos hospitais. Quatro pacientes foram internados em enfermarias no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) e outros cinco permanecerão em tratamento no Hospital Conceição. No sábado passado, o prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, apreensivo sobre o colapso do sistema de saúde da cidade, fez um apelo ao Ministério da Saúde por ajuda. Na ocasião, o governador gaúcho em exercício, Ranolfo Vieira Junior, a pedido da pasta, aceitou receber até 50 pacientes hospitalizados por Covid-19. O estado do Paraná também aceitou receber outros 50 pacientes. Ao final, 13 foram para Curitiba e chegaram ainda no começo da terça-feira. Para o RS, eram inicialmente 12, mas dois desistiram e um passou mal durante o embarque e teve que permanecer no estado do Norte. Outros 35 podem chegar ainda nesta e também na próxima semana. Fonte: Correio do Povo

SP confirma três casos de coronavírus com a variante do Amazonas

A Secretaria da Saúde de São Paulo confirmou os três primeiros casos no estado da nova variante do coronavírus identificada inicialmente em Manaus, no Amazonas. Segundo cientistas, esta nova variante pode ter maior potencial de transmissão. A confirmação foi feita pelo Laboratório Estratégico do Instituto Adolfo Lutz, que é vinculado à pasta estadual. É a primeira vez que a variante do Amazonas foi confirmada em outro estado do Brasil. Os cientistas alertam para um desafio gigante: impedir que a variante do Amazonas se espalhe e seja a predominante no Brasil inteiro. O vírus viaja junto com os infectados. No caso do Amazonas, pelos rios, estradas e aeroportos. Os pesquisadores do Observatório da Covid no Brasil mapearam os aeroportos do país, com base nos deslocamentos mais frequentes, antes da pandemia, para saber onde é maior o risco da contaminação pela variante do Amazonas. Fonte: G1

Média móvel de mortes por Covid no Brasil sobe pelo 4º dia e chega a 1.058; total se aproxima de 219 mil

A média móvel de mortes por Covid-19 no Brasil subiu pelo 4º dia e chegou a 1.058. O país contabilizou 8.936.590 casos e 218.918 óbitos por Covid-19 desde o início da pandemia, segundo balanço do consórcio de veículos de imprensa. Cinco estados estão com alta nas mortes: MG, GO, MT, AM e RR. Segue chamando atenção a situação do estado do Amazonas, que registrou sua maior marca de mortes por Covid em 24 horas até aqui: foram 192. Fonte: G1

Casos de coronavírus no mundo passam de 100 milhões, diz levantamento da Johns Hopkins

O número de casos confirmados do novo coronavírus no mundo passou de 100 milhões, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins. Foram 10 milhões em apenas 15 dias. Os dados mostram ainda que Estados Unidos, Índia e Brasil concentram quase a metade de todas as infecções de Covid-19 no planeta. Fonte: G1

PF é notificada da decisão de ministro do STF e já pode instaurar inquérito para investigar Pazuello

A Polícia Federal foi notificada da decisão do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), e já pode instaurar inquérito para investigar a conduta do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, na crise sanitária do Amazonas. Nesta terça (16), o ministro afirmou que a alta de casos no estado registrada no começo do ano “foi uma situação completamente desconhecida para todo mundo”. O ministro atribuiu o aumento à nova variante do coronavírus encontrada em Manaus. Fonte: G1

Nove ex-ministros do Meio Ambiente pedem a líderes europeus que ajudem Amazônia ‘devastada’ por ‘dupla calamidade pública’

Nove ex-ministros do Meio Ambiente enviaram um pedido de ajuda a líderes europeus para combater a crise da Covid-19 na Amazônia. Assinam a carta: José Goldemberg, Rubens Ricupero, Gustavo Krause, Izabella Teixeira, José Sarney Filho, José Carlos Carvalho, Marina Silva, Carlos Minc e Edson Duarte. O documento, que foi encaminhado ao presidente da França, Emmanuel Macron, à primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, e à primeira-ministra da Noruega, Erna Solberg, diz que a “Amazônia brasileira está sendo devastada neste momento por dupla calamidade pública, ambiental e de saúde. Fonte: G1

Produção e apresentação: Júlio César Lenhard
Próxima edição: hoje, ao meio-dia

 

1 comentário

  1. Cada vez pior. O leite e suas peripécias, autoizar vir mais contaminados pra cá. Ao invés de mandar ajuda pra lá.. Ja tem o novo coronavirus nesses pacientes trazidos de lá, para contaminar aqui quem ainda não tem. Uma barbaridade sem tamanho isso, cada vez mais penso que os politicos estão é nem ai para o povo. Leite Fora!!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui