Palestra detalha presença indígena e colonização europeia no Vale do Taquari

Um bate-papo sobre a colonização do Vale do Taquari marcou o Dia Internacional dos Arquivos, na quinta-feira


0
Público prestigiou evento na Biblioteca Pública de Lajeado (Foto: Alício de Assunção)

Promovido pela Prefeitura de Lajeado, por meio da Secretaria da Cultura, Esporte e Lazer (Secel) e Arquivo Histórico Municipal de Lajeado, a palestra com os pesquisadores Fernanda Schneider e Marcos Rogério Kreutz ocorreu na Biblioteca Pública Municipal.

Mais de 50 pessoas participaram da atividade, que apresentou detalhes da colonização pré e pós-contato com europeus na região. A palestra abordou a história de grupos indígenas que se encontravam no Vale do Taquari antes da chegada dos colonizadores: os Caçadores Coletores, os Jê Meridionais e os Guarani. A pesquisadora Fernanda explica que o primeiro grupo chegou ao Rio Grande do Sul foi por volta de 11.000 anos AP (Antes do Presente).

“As pesquisas em sítios arqueológicos da região comprovam a presença destes povos no Vale por meio da análise de materiais como urnas funerárias, instrumentos de uso diário e estruturas de casas subterrâneas, estas construídas pelos Jê Meridionais”, destaca a pesquisadora e pós-doutora em Arqueologia.

Os palestrantes também apresentaram informações sobre os primeiros europeus – jesuítas espanhóis – que circularam oficialmente (registro em documentos) pelo Vale do Taquari na mesma época em que os bandeirantes passaram pela região. O documento mais antigo a respeito data de 1635.

Secretário de Cultura, Carlos Reckziegel (d) agradeceu palestrantes (Foto: Alício de Assunção)

“É importante observar as marcas da imigração europeia, açorianos, alemães, italianos e outras etnias. Com os açorianos, também foram introduzidos os escravizados africanos, os quais trabalhavam nas sesmarias, fazendas e em núcleos urbanos”, explica o pós-doutor em Ensino, Marcos Rogério Kreutz.

A palestra também oportunizou a troca entre os historiadores e os participantes. O escritor Wolfgang Hans Collischonn surpreendeu os pesquisadores com relatos sobre antigos artefatos, ainda não estudados, encontrados em propriedade de familiares.

Documentos históricos

Os dados apresentados na noite de quinta-feira são frutos de pesquisas realizadas desde 2005, quando Fernanda e Marcos começaram a participar de projetos de pesquisa na Univates e em outras instituições.

“Muitas vezes, o conhecimento produzido na academia fica restrito a esse ambiente. Dessa maneira, queremos repassar à comunidade o que pesquisamos na universidade sobre o povoamento do Vale do Taquari”, destaca Kreutz.

O secretário da Cultura, Esporte e Lazer, Carlos Rodrigo Reckziegel, ressaltou a importância de eventos como este para a popularização do conhecimento e do próprio Arquivo Histórico Municipal para a preservação da memória regional.

A historiadora Adriana Jachetti pontua que o processo de digitalização, que disponibiliza parte do acervo em meio virtual, é ferramenta importante para que a comunidade tenha acesso aos documentos em salvaguarda pelo Arquivo Histórico. AI

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui