Para facilitar trocas, consumidor deve deixar claro quando o produto for para presente 

Pedro Bezerra diz que não há amparo legal quando as lojas dizem que peças na promoção não têm direito a trocas.


0
Pedro Bezerra, coordenador do Procon de Lajeado (Foto: Tiago Silva)

A semana posterior ao Natal é conhecida no comércio pela troca de presentes e lembranças que não serviram ou agradaram ao gosto dos presenteados. O coordenador do Procon de Lajeado, Pedro Bezerra, falou sobre os direitos do consumidor nessas trocas, em entrevista no programa Troca de Ideias desta quinta-feira (31).


ouça a entrevista

 


 

Conforme ele, o Código de Defesa do Consumidor não trata especificamente de trocas de presentes, mas trocas em geral. Bezerra destaca que o direito do consumidor é baseado na informação, e indica que o cliente deixe claro que o produto é para presente na hora da compra. “A gente orienta usar o diálogo e o bom senso.”

“Se você vai comprar um produto para presente, é importante que essa informação seja clara no momento da compra, tanto para que você refira e deixe essa informação clara ao vendedor e ele também seja claro, de te garantir uma eventual troca caso o produto não sirva, especialmente itens de vestuário ou calçados, por exemplo. Então, é importante essa troca de informação entre consumidor e fornecedor.”

Uma dica importante: Pedro Bezerra diz que não há amparo legal quando as lojas dizem que peças na promoção não têm direito a trocas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui