PCC pagava “mesada” a 220 assassinos e líderes presos da facção

A ação ocorre neste segunda-feira em 19 Estados e no Distrito Federal.


0
Foto: Divulgação / PCMG / Correio do Povo

Ao menos 220 assassinos e membros presos do alto escalão do PCC (Primeiro Comando da Capital) recebiam uma mesada da facção criminosa por “missões” cumpridas em nome do grupo. As informações foram reveladas pela Polícia Federal, na manhã desta segunda-feira (31), após deflagrar a maior operação contra uma facção criminosa no país.

A ação acontece em 19 Estados e no Distrito Federal. Sem revelar valores, já que o processo ainda corre em segredo de Justiça, o delegado Alexsander Castro de Oliveira, da Polícia Federal, explica que a gratificação era paga de acordo com o grau de responsabilidade da “missão”. – O valor é tabelado. Se a facção determinou que, por suposição, ele executasse um juiz e o suspeito fosse condenado e enviado para o sistema prisional, ele recebe um valor. Para outras ações, o valor é outro. Os investigadores mapearam pagamentos feitos aos 220 envolvidos no esquema pelo menos desde janeiro de 2018. Boa parte dos criminosos recebiam os valores por meio de “laranjas”, que forneciam as contas bancárias para colaborar no esquema.

Fonte: R7

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui