Venezuela têm feito com que um número cada vez maior de pessoas deixem o país. O Panamá, o Equador e o Chile têm sido principal destino, mas o Brasil também está entre os países procurados. O número de pedidos de refúgios deste ano é mais do que o dobro do que o registrado no ano passado, segundo dados do Ministério da Justiça.

De acordo com o levantamento, de janeiro até a primeira semana de maio (02/05) deste ano foram registrados 8.231 solicitações. Somente entre o final de março e o início de maio de 2017 foram 5.436. Durante todo ano de 2016 foram 3.375 pedidos.

No dia 31 de março começou uma nova onda de protestos contra o presidente Nicolás Maduro, e incidentes violentos como confrontos entre manifestantes e forças de segurança, tiroteios e saques se intensificaram. De acordo com o Ministério Público venezuelano, 35 pessoas morreram e mais de 700 ficaram feridas nesse período.

O pedido de refúgio é o caminho mais rápido e seguro para legalizar a situação no Brasil. A maioria dos solicitantes são venezuelanos que vivem na região da fronteira entre os dois países. Eles fogem da escassez de alimentos, da violência e da perseguição política.

Com menos recursos econômicos, os venezuelanos que entram no Brasil se instalam em Boa Vista, Roraima. Os que têm melhores condições financeiras seguem viagem até Amazonas ou São Paulo. Alguns buscam acolhida na Casa do Migrante da Missão Paz, na região do Glicério, centro de São Paulo (SP).

Desde o início do ano, 11 venezuelanos procuraram ajuda no local. O número não é alto se comparado ao fluxo de haitianos, por exemplo, segundo o Padre Paolo Parisi, coordenador da Missão Paz. Porém, é a primeira vez que um grupo de mais de dez pessoas procura atendimento num período de três meses.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui