“Pela primeira vez o partido está 99% no Vale em prol da minha candidatura”, afirma Maneco, pré-candidato a estadual

O ex-prefeito de Taquari afirma que a região é econômica e socialmente uma das maiores e mais importantes do RS. Para ele, o vácuo de representação tem que ser ocupado


0
Maneco é ex-prefeito de Taquari e ex-presidente da Famurs (Foto: Tiago Silva)

O PT deve ter somente um candidato a deputado estadual do Vale do Taquari. Será o ex-prefeito de Taquari de 2013 a 2020 e ex-presidente da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), Emanuel Hassen de Jesus, o Maneco. O lançamento oficial de sua pré-candidatura deve ser feito dia 28 de maio, no ginásio do esporte Clube Pinheiros de Taquari, às 19h30.

“O ideal seria que o Vale tivesse um ou dois candidatos só, independente de partidos. Mas a gente sabe que é difícil essa união porque os mais diferentes partidos têm as suas lideranças, as suas pretensões e as suas diferenças de opinião. Mas no PT nós conseguimos algo inédito: pela primeira vez o partido está 99% no Vale em prol da minha candidatura”, diz ele, em entrevista ao Redação no Ar desta quarta-feira (4). O petista reconhece que sempre tem um partidário que não concorda, mas poucos não devem embarcar na sua candidatura.

No entendimento de Maneco, o trabalho de parlamentar tem que ter foco nas pautas prioritárias do partido e da pessoa, mas dialogar e representar a todos. “Para além dos partidos, tem que ser sobre os problemas e as questões da nossa região”, enfatiza, ao citar a questão dos pedágios e problemas com a RGE de exemplo.

“Um deputado é do Estado, e claro, vai tratar de todos os temas importantes que surgiram na Assembleia Legislativa. Mas a prioridade tem que ser o Vale do Taquari e nossos vizinhos, até pela deficiência de representação que nós temos e o potencial de pautas que aqui a nossa região tem a ser explorada para agregar desenvolvimento para nossos municípios”, argumenta. O ex-prefeito de Taquari afirma que a região é econômica e socialmente uma das maiores e mais importantes do RS, e bem localizada em função da BR-386. Essas características deveriam colocar o Vale em outro patamar em termos de representação política, afirma. “Esse vácuo precisa ser ocupado.”

O atual integrante da diretoria da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) exalta a bagagem, o aprendizado e o conhecimento adquiro quando presidiu a Famurs durante o auge da pandemia de coronavírus, entre 2020 e 2021.

“Foi um desafio enorme estar à frente da entidade que congrega os 497 municípios do Estado neste momento em que os municípios foram muito desafiados e que a gente espera que realmente tenha chegado ao fim. Agora fica o desafio econômico e social de conseguirmos nos recuperar. Mas obviamente que as vidas e o tempo que se perdeu não voltam mais”, lamenta.

Advogado, Maneco fala sobre o gosto pela política. “Eu milito na política desde a barriga da minha mãe. Isso já vem de dentro de casa, tanto da minha mãe como de meu pai. Encontrei na política o único caminho para a gente verdadeiramente trabalhar para contribuir e melhorar a vida das pessoas, transformar a realidade em que a gente vive”, entende.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui